rio

rio

terça-feira, 29 de julho de 2014

POLITICO INTELIGENTE VALORIZA SUA GENTE


CANDIDATO A POLITICO INTELIGENTE 

VALORIZA SUA GENTE

AQUI NO MEMORIAL DA NECA,

 DAMOS ASSESSORIA PARA CANDIDATOS CONHECEREM NOSSA GENTE.

PUBLIQUEI MAIS DE 300 BIOGRAFIAS DE PIONEIROS.

PUBLIQUEI A MAIORIA DE BIOGRAFIAS DE ARTISTAS PLASTICOS.

SEJA INTELIGENTE

POLITICO CONTRATE UM MARKETEIRO QUE CONHECE A GENTE DAQUI.

CONTRATAR GENTE DE FORA

VAI PERDER A ELEIÇÃO.

ESTAMOS AQUI.

MEMORIAL DA NECA MACHADO
9151.4246.


sábado, 26 de julho de 2014

EU SOU ESCRITORA COM ORGULHO > 25 DE JULHO > DIA DO ESCRITOR


COMO JORNALISTA E ESCRITORA, ESCREVI CENTENAS DE BIOGRAFIAS DE PIONEIROS DO AMAPÁ > ESTÃO NO MEU MEMORIAL > MEMORIAL DA NECA MACHADO > NO LAGUINHO.

HOMENAGEM AO ARTISTA PLASTICO > NONATO REIS > 27.07.2014


Amanha, 27.07.2014 no meu programa NECA MACHADO NA TV > HOMENAGEM ESPECIAL AO ARTISTA PLASTICO NONATO REIS.

quarta-feira, 23 de julho de 2014

17 ANOS SEM A PRESENÇA FISICA DE MINHA MÃE > IZABEL MACHADO


TENHO ORGULHO IMENSO DE SER SUA HERDEIRA.

TRIBUTO A IZABEL MACHADO
*20 julho 1923 PA- Breves (Minha Mãe) + 23 julho de 1997-AP
Isa, Isa, Izabel Bela…
Vindo de longe, de uma Ilha (paraense)
Quituteira era ela.
Izabel, Isa, Isa, Isa, Bela…
A mais bela do Igarapé das Mulheres
Com olhos de mel,
Com cheiro de terra
Barro aos seus pés,
Isa do barro, para a Terra.
Na terra fértil
Fertilizou
Se fincou.
Mãos calejadas pela labuta.
Isa mais bela, mulher tornou-se.
Mulher na fibra,
Mulher na raça,
Isa, Isa, Isa, bela…
Beleza só a dela,
Mãe, Pai, tudo era ela…
Energia
Que não se sabe,
De onde vinha e de onde tirou.
Porém, na raça,
Permanecia,
Suor e sangue brotou.
MINHA MÃE!
Meu néctar, minha seiva,
Minha selva, minha mina,
Eu era sua menina.
E Boneca,
Depois só NECA,
Me chamou,
E eu a contemplava,
Com admiração e respeito,
Herdei seus olhos,
Olhar de mel,
Sem fel…
E ela foi abelha rainha,
E seu olhar era profundo.
Oh! Isa, Isa, Bela
Minha Isa, minha sina
E eu sua menina.
Sua boneca, NECA…
Sino dos Anjos,
Aos meus ouvidos
Me ensinando
Os primeiros passos,
Me protegendo
Sob seus braços…
Minha guardiã, minha heroína.
Minha protetora,
Só era ela, Isa, Isa, Isa Bela…
Isa hoje está no mármore.
Seu mármore é belo,
 E a conserva
No seu pensar,
Nas atitudes,
Sigo tua sina, o teu exemplo,
De perseverança e determinação
De uma mulher mais bela.
Minha Isa, Isa, Bela…
Isa de estrelas,
Isa do Sol,
Isa sofrida,
Isa suor,
Isa esperança,
Isa paixão.
Oh Senhor!
Eu te pedi uma MÃE,
E tu me deste uma MINA,
Senhor eu te pedi uma mão,
E tu me deste uma Guia.
Senhor eu só queria um colo,
E tu Senhor das estrelas…
Me deste uma constelação.
Senhor ela era bela…
Minha Isa, Isa, Bela…
Mas do que Isa, Senhor.
Ela era bela,
Mas do que Isa, bela,
Era um coração só.
Senhor jamais pensei em lhe perder.
Porem, chorei,
Quando sofria
Em fria cama
Sem me fitar.
Porem suas lagrimas
Quando rolavam
Eu compreendia e sabia
Que tu falavas no meu penar.
E meu peito ardia e se apertava,
Oh! MINHA MAE.
Isa, Isa, Isabel Bela
Minha Isa bela.
Pássaro solto
Na plenitude
Na imensidão
Hoje estas livre
Sem solidão, sem dor.
E voas alto, e nas estrelas
És a mais bela…
MINHA MAE,
Minha Isa, Isa, Isabel bela…
Minha Mãe serena,
Minha mão guia,
Minha esperança,
E teu sorriso soa no ar.
Es tu somente a mais bela, minha Isa
Isa, Isa, Isabel bela…
Oh! Senhor
Eu só te pedi uma MAE.
E tu reuniste em uma única mulher.
Todas as virtudes do universo.
Quão gotas de orvalho num paraíso.
Senhor!
Eu só queria uma Mãe.
E tu Senhor, me destes uma MINA,
E te perguntei baixinho entre soluços:
Senhor, o que faço para ser merecedora dessa dádiva?
Senhor será que mereci essa mulher em minha vida?
Senhor te peço piedade.
Pelos meus erros,
Pelos meus pecados,
Senhor não sou merecedora
Dos teus caprichos.
Porem gritarei ao mundo
Que fui contemplada por ti,
Por ser filha dessa nobre mulher
Chamada Isa, Isa, Isa Bela…
ISABEL MACHADO
MINHA MÃE!
Poema dedicado a Isabel Machado, publicado no Jornal Diário do Amapá no dia das Mães em 13 de maio de 2001.

domingo, 20 de julho de 2014

ESSE É O LUCRO DO MEU PROGRAMA NA TV > RECONHECIMENTO DA POPULAÇÃO


Se o empresario que tivesse uma visão de EMPREENDEDORISMO SERIO, ele faria publicidade aqui, este é um programa SERIO DE INFORMAÇÃO QUE VENDE, TEM MAIS DE 5000 MIL TELEVISÕES LIGADAS NO MEU PROGRAMA TODO DOMINGO. ISSO VENDE.

sexta-feira, 18 de julho de 2014

MORRE ANTONIO PADUA - LURDICO + 17.07.2014


MORRE ANTONIO PADUA – LURDICO
O Amapá perde UM POUCO DE SUA GRAÇA COM A MORTE DE LURDICO.

Por > Neca Machado > 17.07.2014

O encontrei sorridente com visitas no estúdio da radio 102, Fm no dia 30 de junho de 2014, eram aproximadamente 18 horas.

Fui pagar meu programa de TV referente ao mês de Julho e não tinha mais nenhum servidor da tesouraria

Perguntei a ele LURDICO se poderia receber o valor, e ele com aquele sorriso farto e um bom coração, contando piadas e bom humor ainda tentou ligar para o Diretor e não conseguiu, me disse deixa que recebo.

Ainda me deixou falar do meu programa na tv

Ele era assim, PURO CORAÇÃO, PURA EMOÇÃO

SORRISO FARTO, CATIVANTE,

Desses seres verdadeiramente humanos que vão fazer FALTA.

AQUI A FOTO QUE FIZ NO DIA 30 DE JUNHO DE 2014.



quinta-feira, 17 de julho de 2014

VALE A REPRODUÇÃO

Os candidatos ao cargo de deputado estadual Cristina Almeida e Washington Picanço foram multados pela Justiça Eleitoral, no valor de R$5 mil, cada um, por realizar propaganda eleitoral antecipada. No dia da convenção do Partido Socialista Brasileiro (PSB), eles reuniram correligionários com material de campanha e fizeram passeata nas ruas próximas ao local do evento. A decisão da Justiça Eleitoral é resultado de representação da Procuradoria Regional Eleitoral no Amapá (PRE/AP).
Para a Justiça Eleitoral, a atitude dos candidatos extrapolou os limites permitidos pela legislação para propaganda direcionada aos filiados do partido. “Ao invés de restringir-se ao âmbito intrapartidário, [a propaganda] ganhou as ruas, em verdadeiro ato de campanha eleitoral”, ressalta trecho da decisão judicial.
O PSB também foi condenado a pagar multa no valor de R$5 mil. Segundo a sentença, “o partido conclamou a população em geral para a convenção, o que é terminantemente vedado”. O convite para participar do evento deveria ser dirigido apenas às pessoas filiadas.
Outras representações – A PRE/AP também ajuizou outras duas ações por propaganda antecipada contra candidatos a deputado estadual do PSB. A representação contra Agnaldo Balieiro foi julgada improcedente. Para a Justiça, a propaganda do candidato não extrapolou os limites permitidos por lei. A PRE/AP recorreu da decisão. A representação contra Allan Ramalho ainda está pendente de julgamento.
(Ascom/Ministério Público Federal no Amapá)

sexta-feira, 11 de julho de 2014

MERECE REPRODUÇÃO

O Ministério Público do Amapá (MP-AP) ofertou denúncia, na última quarta-feira, contra o ex-prefeito de Macapá  Roberto Góes, por atos de improbidade administrativa, e a empresa M. M. A. LTDA, através de seu representante Marcel Angelo Sampaio Góes (primo do ex-gestor). De acordo com a ação, os acusados causaram um prejuízo ao erário superior a R$ 300 mil.
Segundo o que foi apurado pela Promotoria de Defesa do Patrimônio Público (PRODEMAP), Roberto Góes, então prefeito de Macapá, transferiu, através do Título de Domínio nº 10.244, a titularidade de uma área urbana, medindo 34.359 m², para a empresa M.M.A.LTDA, que deveria ter previamente recolhido aos cofres municipais a importância de R$ 313.096,38 (trezentos e treze mil, noventa e seis reais e trinta e oito centavos). Como esse pagamento nunca foi efetuado, a transação acabou se traduzindo em doação.
“Cabe ressaltar, ainda, que a empresa beneficiada (M.M.A.LTDA) que atua no ramo da construção civil com o nome fantasia de Amplitude Construções e Incorporações Imobiliárias, pertence aos irmãos Marcel Angel Góes e Márcio André Góes, que são primos do ex-prefeito”, informa a promotora de Justiça Christie Damasceno Girão que subscreve a denúncia.
A ação demonstra que, embora o recolhimento prévio dos valores ao Município seja condição indispensável para a expedição do título de domínio, o acusado Marcel Góes declarou ao MP-AP que “não recolheu a taxa de legitimação por falta momentânea de recursos financeiros”. Apesar de não ter recebido qualquer valor dos empresários a Prefeitura de Macapá expediu documento de venda do terreno e registrou que já estava integralmente pago pelo comprador, reforçando, no ato, a plena e geral quitação.
“Acrescente-se a isso, que este fato não foi uma conduta isolada do então prefeito de Macapá, eis que as investigações revelaram que ele acabou por beneficiar outras pessoas, cujos processos serão levados ao Judiciário, causando prejuízos consideráveis aos cofres públicos e efetivo dano ao erário”, reforça o promotor de Justiça Afonso Guimarães, que também assina a ação.
Para comprovar as ilegalidades apontadas, o MP-AP juntou no processo farta documentação emitida pela Prefeitura de Macapá, devidamente assinada pelos acusados.
“Ambos tinham consciência da ilicitude cometida, uma vez que o ex-gestor assinou o título de domínio sem o pagamento devido e o empresário foi beneficiado por essa concessão graciosa. O que se vê, no presente caso, é a falta de zelo com o dinheiro público, o efetivo dano ao erário e o benefício concedido a pessoas determinadas, no caso, parentes de Roberto Góes, tudo isso em período eleitoral”, finaliza o promotor.
Para assegurar eventual reparação aos cofres públicos o MP-AP requer, em caráter liminar, a indisponibilidade dos bens móveis e imóveis dos acusados até o limite do dano causado.
(Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá)

quinta-feira, 10 de julho de 2014

MORRE UM PIONEIRO


EMOÇÃO É PARA SER ETERNIZADA > A 2M PRODUZ SEU DVD.




2M PRODUÇÕES

PRODUÇÃO > 9151.4246

UM DVD > IMORTALIZA EMOÇÕES > A 2M FAZ SEU DVD > 9151.4246


 POLITICO QUE QUER TER UMA IMAGEM DE CREDIBILIDADE A 2M FAZ TEU DVD >


 UMA PRODUTORA DE VIDEO QUE EDITA MEU PROGRAMA NA TV >


 VEIO PARA FAZER A DIFERENÇA >

 CRIA E ELABORA COMERCIAIS>

 FAZ PRODUÇÃO DE VIDEOS INSTITUCIONAIS, 

VIDEOS DE EVENTOS CULTURAIS > VIDEOS PARA ARTISTAS EM GERAL.

 COLAÇÃO DE GRAU..

. E VIDEO EM INGLES E ALEMÃO.



 EMOÇÃO É PARA SE ETERNIZAR > 

A 2M PRODUZ TEU DVD.

NECA MACHADO NA TV > INDICA MUSICA DE QUALIDADE



TODO DOMINGO NO MEU PROGRAMA NA TV > NECA MACHADO NA TV > TV TUCUJU CANAL 24 AS 9 DA MANHA.

EU INDICO MUSICA DE QUALIDADE.

NESTE DOMINGO > 13.07.2014

É A CANTORA > CLAUDETE MOREIRA COM > JEITO TUCUJU

segunda-feira, 7 de julho de 2014

quarta-feira, 2 de julho de 2014

SÃO ESSES CANDIDATOS AO PARLAMENTO DO AMAPÁ QUE QUEREM A REELEIÇÃO

Do portal do MPE
O Ministério Público do Amapá (MP-AP) ofertou denúncias nas esferas cível e criminal contra o deputado estadual Eider Pena pela utilização indevida da verba indenizatória da Assembleia Legislativa do Amapá (ALAP). O parlamentar é acusado de atos de improbidade administrativa e prática dos crimes de peculato, formação de quadrilha, falsidade ideológica e uso de documento falso. Nas mesmas ações, também foram denunciados os dirigentes afastados da Casa de Leis, Moisés Souza e Edinho Duarte, além de Edmundo Tork Ribeiro, ex-secretário de finanças do parlamento estadual.
As investigações, resultado da apreensão de documentos no prédio anexo da ALAP, no dia 22 de maio de 2012, durante a chamada “Operação Eclésia”, apontam que, no período de janeiro de 2011 a abril de 2012, o deputado Eider Pena recebeu o montante R$ 1.014.425,57 (um milhão, quatorze mil, quatrocentos e vinte e cinco reais e cinquenta e sete centavos), que segundo o parlamentar foram gastos com despesas necessárias ao exercício do seu mandato.
No entanto, o MP-AP apurou que o acusado recebeu indevidamente o valor de R$ 786.275,96 (setecentos e oitenta e seis mil, duzentos e setenta e cinco reais e noventa e seis centavos), utilizando-se de notas fiscais falsas, pagamentos por serviços não realizados, recibos em desacordo com as normas regentes e despesas estranhas ao que determina a Instrução Normativa nº0007/2010 – AL, que disciplina a utilização da verba indenizatória dos deputados estaduais do Amapá.
“Isto é, aproximadamente, 80% do que lhe fora ressarcido não era devido pelo poder público. Os demais denunciados responderão de igual modo, eis que cadaAfonso Guimarães verba indenizatória um, no âmbito de suas responsabilidades, não apenas se omitiram no dever de fiscalizar e exigir o cumprimento da legislação, mas foram além, e deram contribuição decisiva para a configuração da perda patrimonial da Casa de Leis, permitindo, facilitando e concorrendo para o enriquecimento ilícito de Eider Pena Pestana”, explica o promotor de Justiça Manoel Edi, que subscreve as denúncias.
Na ação de improbidade, o MP-AP requer, em caráter liminar, a indisponibilidade dos bens dos acusados até o valor de R$ 1.231.317,59 (um milhão, duzentos e trinta e um mil, trezentos e dezessete reais e cinquenta e nove centavos) objetivando assegurar o ressarcimento aos cofres públicos.
As condutas
O então presidente da ALAP, Moisés Souza, a quem, segundo o Regimento Interno da Casa de Leis, cabe “autorizar despesas”, foi omisso no cumprimento do dever de fiscalizar a correta aplicação do dinheiro público e silenciou na adoção de medidas administrativas capazes de estancar a sangria ao erário.
Edinho Duarte, por sua vez, no exercício do cargo de 1º secretário da ALAP, possuía o dever de “inspecionar os trabalhos administrativos da Assembleia”, conforme estabelece o art.22, V, do mesmo regimento, ou seja, carregava a tarefa de se certificar da real execução dos serviços contratados com recursos públicos, o que não fez.
“Estivessem ambos os parlamentares cumprindo verdadeiramente seus deveres, independentemente da posição que ocupavam na Mesa Diretora, teriam evitado o dano aos parcos recursos públicos”, observa o promotor.
Edmundo Tork, no exercício da Secretaria de Finanças da Casa de Leis, e superior hierárquico da Divisão de Fiscalização e Controle de Verbas Indenizatórias, foi omisso e não cuidou para que fosse feita a análise da regularidade fiscal e contábil dos documentos apresentados pelo deputado Eider Pena. E, além disso, junto com o presidente e o 1º secretário, foi responsável pelos pagamentos, inclusive, assinando os cheques.
Caso concreto
Nota fiscal falsaPara detalhar como funcionava o esquema de corrupção o MP-AP ouviu os proprietários das empresas cujas notas fiscais falsas foram utilizadas para ressarcimento de verba indenizatória. Uma das situações ocorreu com a empresa CADI – Com. de Informática Ltda., que possuía o nome de fantasia ONE INFORMÁTICA.
Nesse caso, a empresária declarou que “sua loja encerrou as atividades de fato, no mês de abril de 2009, inclusive entregando o ponto ao locador”. Reforçou em depoimento que tais notas não são verdadeiras, pois os blocos com a numeração apresentada pelo deputado, em 20 de maio de 2011, venceram em 09 de junho de 2010. A empresária fez a entrega ao Ministério Público das notas fiscais originais.
Nota fiscal verdadeira“De igual modo, aconteceu com diversas outras empresas, numa demonstração clara da prática criminosa, que conseguimos ao longo da apuração demonstrar com todos os detalhes”, reforça o promotor Alexandre Flávio Medeiros, que também subscreve as denúncias.
Ilegalidades cometidas
Apresentação de notas fiscais falsas e sem a contraprestação dos serviços pagos; notas fiscais sem o preenchimento do nome do adquirente; aquisição não coberta pela verba indenizatória (material permanente), em clara ofensa ao art. 4º da Instrução Normativa nº 001/2007-AL); notas fiscais sem o preenchimento do nome do adquirente, sem a descrição da mercadoria e/ou serviços adquiridos, bem como, aquisição sem descrição detalhada da despesa, ambas em ofensa ao art. 5º, § 1º, da já citada Instrução Normativa.