rio

rio

segunda-feira, 31 de julho de 2017

NECA MACHADO NO 2º FESTIVAL DE POESIA DE LISBOA-PORTUGAL

NECA, POR NECA MACHADO


BIOGRAFIA

Neca Machado (Ativista Cultural, altruísta que preserva os sabores e saberes da Amazônia, através dos Mitos e Lendas da Beira do Rio Amazonas no extremo norte do Brasil, é, Administradora Geral, Artista Plástica, Bacharel em Direito Ambiental, Especialista em Educação Profissional, Escritora de Mitos da Amazônia, fotografa com mais de 100 mil fotografias diversas por 11 Países (Europa, Oceania, América do Sul) 2016, classificada  em 2016  na obra brasileira “Cidades em tons de Cinza”, Concurso Urbs, e de novo classificada em 2017,  classificada com publicação de um poema na obra Nacional, “Sarau Brasil”, Novos Poetas de 2016, e de novo em 2017, Pesquisadora da Cultura Tucuju, Contista, Cronista, Poetisa, Coautora em 10 obras lançadas em Portugal nas cidades do Porto e em Lisboa, em 2016 e 2017, Autora independente da Obra Mitos e Lendas da Amazônia, Estórias da Beira do Rio Amazonas, publicada em 02 edições em Portugal em 2017, edição limitada, Licenciada Plena em Pedagogia, Gastro-Foto-Jornalista, Blogueira com 25 blogs na web, 21 no Brasil e 04 em Portugal, Quituteira e designer em crochê.)






NECA, POR NECA MACHADO

FATO
·         Há mais de 40 anos venho coletando CONTOS no extremo norte do Brasil na fronteira com a Guiana Francesa, e SOU a realidade de um Pais que NÃO valoriza sua história, sua gente, e suas manifestações, proporcionando a corruptos e corruptores o desvio de verbas que poderiam ir para a CULTURA, e que são desviadas em benefício próprio, e, percebi ao longo de minhas cinco décadas de existência o esvair de informações preciosas levadas ao tumulo por verdadeiros PIONEIROS, e muitos estrangeiros que ajudaram a desenvolver um pedaço da Amazônia, com suas contribuições em seus ofícios, como o Português de Vila Nova de Gaia em Porto- Portugal, Antônio Pereira da Costa, nascido em 1901, e que dedicou ao estado do Amapá, sua vida, sua obra e seu oficio na arte de esculpir imagens sacras, como o São José que repousa sobre a Pedra do Guindaste no leito do Rio Amazonas, em frente a cidade de Macapá-Amapá.

·         Apaixonada por sua obra, dediquei-me a levar a cidade de GAIA em Portugal seu acervo bibliográfico, o que fiz com muita coragem em 2013, deixando a sua cidade natal, parte de uma história que ele construiu no Brasil e em especial na Amazônia, e seus compatriotas hoje sabem de sua relevância.

·        Mas trago no sangue a alma guerreira de um povo nascido nas entranhas da mata e da maior floresta, pulmão que pulsa ao mundo, com orgulho de minha raiz afro TUCUJU.



(Neca Machado no Premio Sarau Brasil 2017)


·        NASCI E SOU AMAZONIDA. COM MUITO ORGULHO!
·        E aprendi a NÃO LAMENTAR,
·        Aprendi que determinação é virtude e caminho.
·        Aprendi que NÃO existe um DESTINO, existe um CAMINHO, e este caminho sou EU QUE TRAÇO.
·        Aprendi como ADMINISTRADORA que a vida é planejamento.
·        TENHO SONHOS, E NUNCA DESISTI DELES.
·        Encontrei MUITA GENTE MEDIOCRE no meu caminho, mas, não desisti, e com a mesma coragem das Marés que rompem as ondas bravias e batem com sua força no cais, tracei esse percurso imaginário de uma ponte entre Continentes e minha Poesia desaguou na Europa, em especial em Portugal, e somam em 02 anos (2016 e 2017) 15 exemplares como coautora e autora de 02 obras independentes, de estórias saídas da memória de ribeirinhos da beira do rio Amazonas.
UM PROJETO que já deu certo, nasceu no coração da Amazônia e DESAGUOU em Vila Nova de Gaia-PORTO-PORTUGAL, não por coincidência, mas, POR CORAGEM, de trazer a Terra de Pereira da Costa o suor, e a lagrima de uma Poetisa Cabloca parida no mais longínquo recanto de uma Amazônia singular, que é SUCESSORA de uma das maiores Mulheres PIONEIRAS DO AMAPÁ. IZABEL MACHADO, não sou sua herdeira, nem herdei o seu legado, sou sua SUCESSORA, sucedi sua competência, sua coragem e sua determinação.

(Neca Machado no Premio UrbsBrasil-2017)


·        OBRA DE NECA MACHADO EM PORTUGAL

(Neca Machado no 2º Festival de Poesia de Lisboa)





NASCE NO CORAÇÃO DA AMAZONIA, “MITOS E LENDAS DA BEIRA DO RIO AMAZONAS. ”

UM EMBRIÃO DE UMA COLEÇÃO DE CONTOS E RELEITURAS, que pretendo deixar as futuras gerações como contribuição.
·        O projeto inicial eram somente 10 livros, mas, hoje, já chegam a 15 obras, entre coletivas e 02 individuais.
·        MITOS E LENDAS, nasce com 18 CONTOS
·        28 POEMAS, paridos na alma e com muita emoção.
·        Nasce com 125 páginas de um início onde VOU FAZER UM LIVRO COM 300 PAGINAS, material tenho de sobra como jornalista e escritora.
Escolhi ser Poetisa,
Escolhi viver e sentir a POESIA NA ALMA.
Escolhi ter raízes aéreas, sem medo e sem crer em obstáculos.
Escolhi não ser sombra, literalmente de pseudos-poetas, mas faço minha própria poesia, desnuda de pretensões.

MEU SONHO É REALIDADE!


·        MITOS E LENDAS, ESTORIAS DA BEIRA DO RIO AMAZONAS

É um projeto de ousadia de uma poetisa tucuju que foi publicado em 02 edições em Portugal em fevereiro de 2017, em uma edição independente trazendo em suas páginas, a simplicidade das “estórias” sabiamente (re) contadas por verdadeiros PIONEIROS que contribuíram para o desenvolvimento do Amapá. Muitos deles já falecidos, como Mestre Sacaca, Dona Macica, Avhulu, Mobelino Lobato, Rato, Izabel Machado, Leolpoldina Machado, Joaquim Tiburcio Ramos, Tia Venina, Mestre Pavão, Tia Biló, filha de Mestre Julião Ramos, Crioulo Branco, Seraphio Yacinth, dentre centenas de verdadeiros homens e mulheres que deram seu suor para engrandecer um torrão, fincado nas entranhas da maior floresta do mundo, a Amazônia e banhado pelo maior Rio de agua doce do Mundo, o Rio Amazonas.





“MITOS E LENDAS, ESTORIAS DA BEIRA DO RIO AMAZONAS”

São “Estórias” populares que soaram como um grito de fazer valer a lembrança.
·        Onde minha determinação, conseguiu trazer de volta a magia e o encanto de contos perpetuados por várias gerações de verdadeiros Pioneiros da Amazônia.
São...
 Estórias e memorias de um POVO aguerrido afrodescendente em sua maioria.
Estórias nascidas da imaginação.
Estórias perpetuadas pela emoção,
Estórias que trazem sabor de memória,
Estórias que vivem parte de uma História.
Estórias em contos e lagrimas de saudade.
Estórias embebidas de poesia,
Estórias de pura alegria,
Estórias com cheiro de mato,
Estórias como curso de rios,
Estórias com pavor e medo,
Estórias sem segredos....
Estórias vividas e inventadas,
Estórias RECONTADAS.

“Por minhas mãos. (Neca Machado-AP)”


“MITOS E LENDAS DA AMAZONIA EM PORTUGAL”
PUBLICADO EM DUAS EDIÇÕES


(CONTOS E POESIAS DA BEIRA DO RIO AMAZONAS)
REALIDADE –

2017 – PORTO-PORTUGAL
(O MELHOR DESTINO TURISTICO DA EUROPA, ELEITO EM 2017)
BIOGRAFIA
(Não permito exumação de meus restos para fazer história, FIZ HISTORIA EM VIDA, SOZINHA, E COM CORAGEM!)
                                 Neca Machado- Porto-Portugal – 02.2017







domingo, 30 de julho de 2017

ESCRITORA DA AMAZONIA NECA MACHADO, OBRAS NO BRASIL E EM PORTUGAL

MAIS UMA OBRA DE NECA MACHADO EM PORTUGAL- É CO AUTORA NA OBRA



----------------------------------------------------------------------------------------------
Caros poetas e poetisas,

Conforme prometido, apresentamo-lhes com muita alegria e satisfação a capa do nosso livro, feita pela artista plástica Isis Berlinck Renault.



Isis foi a pessoa escolhida pela equipe da Helvetia Edições para dar vida a essa obra através de um desenho que pudesse trazer um pouco da história da metrópole – Portugal – para nosso conhecimento. É importante salientar que este quadro será doado à Missão do Brasil junto à CPLP, como uma forma de imortalizar esta edição do Festival.

Na imagem, a artista retratou os Carreiros do Monte, homens que conduzem o meio de transporte mais pitoresco da Ilha da Madeira: os “carros de cesto”, ou “tobogãs”, como também são conhecidos.
Este interessante meio de transporte surgiu em 1850, dada a falta de acesso da Freguesia do Monte até a Cidade do Funchal, que na altura já era um dos locais de eleição da Ilha, escolhido pela nobreza e homens de negócio, e também pela rica comunidade britânica. Atualmente, os carros de cesto do monte são usados para transportar milhares de turistas todos os anos, que procuram um passeio cheio de emoções e adrenalina. Demais, não é?!

A partir de agora, vocês já podem divulgar esta foto (que também segue em anexo) em suas redes de contato.

Mais uma vez, agradecemos a participação de cada um de vocês. Estamos ansiosos para o nosso encontro!

Até lá, vamos nos falando.

Grande abraço,

Jannini Rosa
Diretora-geral
Helvetia Edições

sábado, 29 de julho de 2017

LAGOSTINS E CAMARÃO NO BAFO- SABOR AMAZONIA DA NECA MACHADO

LAURA HAASE VISITA O MUSEU SACACA-AMAPÁ

EU! ( NECA MACHADO) - GOSTO DE MIM...

AUTO RETRATO



EU GOSTO DE MIM! ....
BIOGRAFIA

Neca Machado (Ativista Cultural, altruísta que preserva os sabores e saberes da Amazônia, através dos Mitos e Lendas da Beira do Rio Amazonas no extremo norte do Brasil, é, Administradora Geral, Artista Plástica, Bacharel em Direito Ambiental, Especialista em Educação Profissional, Escritora de Mitos da Amazônia, fotografa com mais de 100 mil fotografias diversas por 11 Países (Europa, Oceania, América do Sul) 2016, classificada  em 2016  na obra brasileira “Cidades em tons de Cinza”, Concurso Urbs,  classificada com publicação de um poema na obra Nacional, “Sarau Brasil”, Novos Poetas de 2016, Pesquisadora da Cultura Tucuju, Contista, Cronista, Poetisa, Coautora em 10 obras lançadas em Portugal em 2016 e 2017, Autora independente da Obra Mitos e Lendas da Amazônia, Estórias da Beira do Rio Amazonas, publicada em 02 edições em Portugal em 2017, edição limitada, Licenciada Plena em Pedagogia, Gastro-Foto-Jornalista, Blogueira com 25 blogs na web, 21 no Brasil e 04 em Portugal, Quituteira e designer em crochê.)





Aprendi a GOSTAR DE MIM...


(Aprendi que GOSTAR DE MIM, é não fingir aos outros que gosto deles.)


Gosto de mim, quando me dou presentes, não espero ganhar dos outros.
Gosto de mim, quando estou ausente...
Das hipocrisias cotidianas.
Gosto imensamente de mim, quando não tenho regras



A serem cumpridas por imposições,
Gosto de mim, quando contemplo o Mar
Sem limites, sem horizontes,
E vago em minhas velas imaginarias sem destino.
Gosto de mim ao passar em uma florista
E escolher a flor do dia, pode ser uma Tulipa, uma Rosa...
Para debruçar-me sobre sua beleza e lhe dedicar um poema feito ao acaso.
Gosto de mim, sem modismos,
Gosto de mim, sem o inconformismo convencional,
Sou verdadeiramente intensa e irrequieta com padrões medíocres.



Gosto de mim procurando rotas de um rio
Gosto de mim ao contemplar no mar, ondas bravias a bater em pedras pujantes.
E que depois das ondas no seu bailar, continuam intactas e soberbas.
Gosto de mim, ao escolher minha música preferida
Sem dividir com medíocres seus gostos insanos.
Gosto de mim, ao sorver um Tawny sem pressa
Numa taça translucida de desejos.
Gosto de mim, ao passear em belos jardins europeus. E amo contemplar a florada das Camélias, e Tílias.
Este sim, é um verdadeiro gostar.
Gosto de mim, quando me delicio com morangos frescos,
E nem gosto de diamantes.
Gosto de mim quando vou a um verdadeiro mercado de sabores do mar, e posso escolher meu pedaço de Salmão fresco, que será somente presenteado com sal do Algarves e gotas de limão siciliano, e depois adormecido em manteiga com sal.
SOU ASSIM!
GOSTO DE MIM!



GOSTO DE MIM, SEM PRESSA, SEM PINTURAS, SEM RETOQUES, SEM FRESCURAS....
Gosto de mim, ao ir a um lançamento em Lisboa de uma obra onde sou coautora com tantos mestres e doutores, sim, fizeram doutorado e na Europa.
Gosto de mim.... Quando me debruço sobre a história ao visitar Museus e suas exposições originais, caminhando sobre as telas e dividindo com o autor a sensação de descobrir novos universos dentro das artes.
Gosto de mim, quando volto a infância e revejo na lembrança meus belos cachos de menina afro.
E gosto de mim quando na velhice posso usa-los de novo sem medo.
Gosto de mim, quando desprezo olhares insignificantes e críticos, que nada me comovem ou me tocam, ou me acrescentam.

E gosto de meus olhos da cor de mel, com pouco de fel, quando servem para observar hipócritas e medíocres.
Gosto de mim, com poucos segredos.
Gosto de mim, ao pôr do sol,
Ao amanhecer
Ao anoitecer....
Gosto de mim ao fazer um poema sem a pretensão de satisfazer algum leitor.
Gosto de mim em RETRATOS EM PRETO E BRANCO.
GOSTO DE MIM, QUANDO QUERO VIAJAR, amo viajar para bem longe...
Só lamento não ter dinheiro para ir a lugares que desejo,
Mas, já gosto de mim o suficiente quando cheguei a muito Países pelo mundo.
Gosto de mim ao sentar em um aeroporto e escutar tantas línguas diferentes.
E meu olhar sorri internamente, e digo, gosto de mim, porque estou aqui.
Gosto do barulho de um motor de avião, porque ele poderá me levar a tantos lugares que amo.
Gosto de mim ao caminhar na orla do Douro e não ver ninguém que enxergava antes.
Gosto do gosto do anônimo na minha reta.
Gosto de mim, sem medo.
Gosto de mim com meus segredos, que não compartilhei,
E não vou compartilhar,
Aprendi que o tempo, me deu discernimento, não demência.
Gosto de mim, sem pedir piedade,
Gosto de mim, quando não recebo esmolas,
Gosto de mim, quando me ergo altiva, mesmo com meio século de vivencia.
Gosto de mim, quando tiro da dor, experiência.
Gosto de mim, quando, não quero mais chorar,
Gosto de mim, quando não mais preciso implorar...
Gosto de mim, na minha presença,
Gosto de mim, na minha ausência,
Gosto de mim, sem clemencia,
Gosto de mim, quando não sou SOMBRA.
E gosto de mim, quando deixei de idolatrar medíocres e lixos.
E no auto- retrato de tantos artistas famosos que já contemplei PELO MUNDO.
Faço meu AUTO RETRATO, sem telas ou tintas...



GOSTANDO VERDADEIRAMENTE DE MIM.









sexta-feira, 28 de julho de 2017

NECA MACHADO - NÃO ESCUTA LIXO-Etta James - Misty Blue

A VIDA EM POESIA II - LANÇAMENTO EM LISBOA EM 09.09.2017

REALIDADE DO CANCER NO AMAPÁ (SE MEU ESPOSO TIVESSE FICADO AQUI NO AMAPÁ- ELE JÁ ESTAVA MORTO)

Em audiência realizada nesta quinta-feira (27), na 3ª Vara Cível e de Fazenda Pública de Macapá, em que atua o juiz Ernesto Colares, a Promotoria de Defesa da Saúde Pública, requereu o bloqueio de R$ 5 milhões das contas do Estado para assegurar a compra imediata de medicamentos utilizados no tratamento dos pacientes com câncer no Amapá.

Os pacientes atendidos pela Unidade de Alta Complexidade em Oncologia (UNACON) do Hospital de Clínicas Alberto Lima (HCAL) estão recorrendo ao Ministério Público do Amapá (MP-AP) em busca de solução para o grave e antigo problema de desabastecimento desses remédios quimioterápicos. A UNACON deve prestar um tratamento ambulatorial especializado, 24 horas, atendendo, inclusive, casos de emergência.

Durante a audiência, o próprio diretor da unidade, médico Roberto Marcel, falou sobre os riscos constantes para os pacientes. “O desabastecimento contínuo e frequente dos medicamentos quimioterápicos leva como consequência a uma interrupção no tratamento oncológico, causando prejuízo de forma decisiva no prognóstico e no resultado desses tratamentos, podendo ocasionar a piora ou até o óbito, ressaltando as particularidades de cada caso”.

A titular da 2ª Promotoria da Saúde, promotora de Justiça Fábia Nilci, apresentou em juízo a lista de medicamentos em falta na farmácia da UNACON, que não podem ser substituídos por outros, e relatou que o problema é antigo. “O MP-AP ingressou com uma Ação Civil Pública em 2004 e outra em 2010, porém, até hoje o quadro continua o mesmo. Além da falta de medicamentos, que já é extremamente grave e inaceitável, ainda temos a interrupção há 3 meses das cirurgias eletivas no HCAL por falta de materiais cirúrgicos. Falta tudo, até esparadrapo e água para os médicos lavarem as mãos”, acrescentou.

Foi um o que levou a idosa M.S.S, de 66 anos, com câncer no estômago, a procurar hoje (27), a Promotoria de Saúde para denunciar que está aguardando há 4 meses por uma cirurgia (gastrectomia total em onconlogia), remarcada várias vezes. A demora na realização do procedimento, além de agravar a doença, oferece risco de que o câncer se espalhe por outras partes do corpo.

“Pedimos o bloqueio das contas do GEA e o juiz deu prazo para que o Estado apresente até a próxima segunda-feira (31) uma estimativa de custos. Porém, para agilizar, nós também estamos fazendo esse levantamento e vamos encaminhar para que o magistrado tenha todas as informações necessárias e que em sua decisão possa atender ao pleito do MP”, manifestou Fábia Nilci.

Para o MP-AP não há justificativa desse desabastecimento, tendo em vista que o Estado recebe contrapartida vinda do Ministério da Saúde para funcionamento da UNACON, incluindo a compra desses medicamentos padronizados em lista pelo Sistema Único de Saúde (SUS). “ A ação se arrasta há anos e quase nada mudou, estando os pacientes de câncer, especialmente aqueles mais humildes e desconhecedores dos seus direitos, sofrendo constantemente a interrupção no tratamento”, acrescentou a promotora.

Fábia Nilci também argumentou em juízo, que o valor apresentado no pedido de bloqueio baseia-se em informações prestadas pelo administrador da UNACON referente a última compra emergencial feita pelo Governo do Estado no valor de R$ 4 milhões. 

Ascom/MP-AP

Contato: (96) 3198-1616


MAIS UMA OBRA DE NECA MACHADO EM PORTUGAL- É CO AUTORA NA OBRA

Caros poetas e poetisas,

Conforme prometido, apresentamo-lhes com muita alegria e satisfação a capa do nosso livro, feita pela artista plástica Isis Berlinck Renault.



Isis foi a pessoa escolhida pela equipe da Helvetia Edições para dar vida a essa obra através de um desenho que pudesse trazer um pouco da história da metrópole – Portugal – para nosso conhecimento. É importante salientar que este quadro será doado à Missão do Brasil junto à CPLP, como uma forma de imortalizar esta edição do Festival.

Na imagem, a artista retratou os Carreiros do Monte, homens que conduzem o meio de transporte mais pitoresco da Ilha da Madeira: os “carros de cesto”, ou “tobogãs”, como também são conhecidos.
Este interessante meio de transporte surgiu em 1850, dada a falta de acesso da Freguesia do Monte até a Cidade do Funchal, que na altura já era um dos locais de eleição da Ilha, escolhido pela nobreza e homens de negócio, e também pela rica comunidade britânica. Atualmente, os carros de cesto do monte são usados para transportar milhares de turistas todos os anos, que procuram um passeio cheio de emoções e adrenalina. Demais, não é?!

A partir de agora, vocês já podem divulgar esta foto (que também segue em anexo) em suas redes de contato.

Mais uma vez, agradecemos a participação de cada um de vocês. Estamos ansiosos para o nosso encontro!

Até lá, vamos nos falando.

Grande abraço,

Jannini Rosa
Diretora-geral
Helvetia Edições