rio

rio

sábado, 30 de junho de 2018

CRIMINOSOS NO PODER EM MACAPÁ-01 PRESIDE A CAMARA DE VEREADORES E O OUTRO A ASSEMBLEIA LEGISLATIVA



logo mpA Promotoria de Defesa do Patrimônio Público, da Probidade e das Fundações de Macapá ingressou, no último dia 21 de junho, com denúncia contra o presidente da Câmara de Vereadores (CVM), Acácio Favacho, e mais cinco pessoas pela prática dos crimes de peculato desvio, falsidade ideológica e fraude em licitação, que causaram prejuízo ao erário de, aproximadamente, R$150 mil (cento e cinquenta mil reais).
Segundo as investigações conduzidas pelo Ministério Público do Amapá (MP-AP), o denunciado Acácio Favacho e o presidente da Comissão de Licitações da Câmara de Vereadores de Macapá, Rui Heiner Ferreira, valendo-se da condição de agentes públicos fraudaram o processo licitatório nº002/2013 – SEGER/CMM e desviaram R$115.000,00 (cento e quinze mil reais) de um total de R$147.687,78 (cento e quarenta e sete mil, seiscentos e oitenta e sete reais e setenta e oito centavos), em proveito do também denunciado Rogério dos Santos, irmão de criação do vereador.
Consta nos autos que, no mês de julho de 2013 foi publicado Edital de Carta Convite nº005/2013 – CPL/CMM, decorrente de processo licitatório, tendo como objeto a contratação de empresa para a execução de serviços de reforma dos banheiros, salas reservadas às comissões permanentes e à assessoria de comunicação, e do corrimão das escadas destinada ao público, no valor da global de R$112 mil ( cento e doze mil reais).
Apenas três empresas, o mínimo necessário, foram convidadas pela CPL, quais sejam, a J.J. Monteiro Machado Construções LTDA – EPP, a Porto Construções LTDA-EPP e a Bauhaus Incorporação Construção e Serviços – LTDA. “Frise-se que no cadastro municipal haviam outras sociedades empresárias do ramo da construção civil cadastradas que, todavia, não foram chamadas para o certame”, observa o promotor de Justiça Adauto Barbosa.
No dia 15 de julho de 2013, a empresa J.J. Monteiro Machado Construções LTDA – EPP foi declarada vencedora e logo em seguida, no mês de agosto daquele ano, em “decorrência de supostos acréscimos dos serviços, que não foram justificados, foi firmado Termo Aditivo no valor de R$ 29.980,50 (vinte e nove mil, novecentos e oitenta reais e cinquenta centavos), totalizando R$147.687,78.
“Ocorre que, após minuciosa investigação, constatou-se que o aludido processo licitatório foi fraudado, tendo em vista que foi montada apenas para dar ares de legalidade à contratação direcionada da J.J. MONTEIRO MACHADO CONSTRUÇÕES LTDA – EPP, sociedade empresária que, durante a execução contratual efetuou o desvio de praticamente ¾ (três quartos ) do valor da obra para o enriquecimento ilícito de Rogério Marques, pessoa de confiança e com fortes ligações de amizade com o presidente da Câmara, vereador Acácio Favacho”, sustenta o promotor de Justiça Afonso Guimarães, que também subscreve a ação.
Fraude
O proprietário da empresa vencedora e também denunciado, João Paulo Dias Bentes Monteiro, em regime de colaboração premiada, devidamente homologado pela justiça, declarou que Rogério Marques o procurou dizendo que estava realizando uma construção e precisava de dinheiro para concluí-la, sendo que a Câmara de Vereadores iria fazer uma obra e ele precisava ganhar, ocasião em que pediu para utilizar a sua empresa.
João Paulo declarou ainda ao MP-AP que aceitou a transação na condição de que os tributos da empresa fossem devidamente retidos. Os pagamentos pela Câmara foram realizados em dois cheques na conta da empresa J.J Monteiro. O primeiro no valor de R$112 mil (cento e doze mil reais) e outro de R$29 mil (vinte e nove mil reais). Na sequência, João Paulo comprovou ter depositado na conta de Rogério Marques a quantia de R$ 10 mil (dez mil reais) e o saque em espécie de R$ 30 mil (trinta mil reais), dos quais repassou mais R$10 mil ao denunciado Rogério.
“Quanto ao segundo cheque, o denunciado João Paulo ficou com aproximadamente 17% destinado supostamente aos tributos e o restante, ou seja, quase R$ 25 mil (vinte e cinco mil reais) foram novamente entregues a Rogério Marques”, acrescenta o promotor Eduardo Kelson, com atuação na Promotoria.
João Paulo esclareceu ao MP-AP a origem da sua relação com os demais denunciados, pois aluga máquinas pesadas para a empresa L.C.F. Favacho, registrado em nome da irmã do denunciado Acácio Favacho e gerenciado, mediante o uso de procuração, por Rogério Marques.
“Não bastasse isso verificou-se que de um depósito de R$72 mil (setenta e dois mil reais) feito na conta da sociedade J.J. Monteiro, R$ 70 (setenta mil) foram transferidos no mesmo dia para a conta pessoal do denunciado Rogério Marques, conforme informações extraídas da quebra de sigilo bancário autorizada nos autos”, reforçam os promotores. 
Todas as declarações puderam ser confirmadas pelo MP-AP por meio da fita de caixa bancária juntada aos autos.
Em outro depoimento, ex-servidores da CVM disseram que, embora fossem nomeados na CVM, nunca participaram de uma sessão da CPL e que recebiam de Rui Heiner toda a documentação, com orientações indicando os nomes dos participantes, modelos de ata e rascunhos manuscritos onde já constavam os nomes do vencedor.
Os demais denunciados: José Carlos Barbosa Júnior (representante da sociedade Bauhaus Incorporação Construção e Serviços) e Berlândio Carneiro Portela (um dos proprietários da empresa Porto Construções LTDA – EPP. Ambos apenas entregaram as propostas, mas não participaram do certame. Cientes das irregularidades em andamento, contribuíram tanto para a fraude no processo licitatório, como para a prática do crime de peculato desvio.
“Este quadro inaceitável torna-se ainda mais gravoso para a administração pública quando se observa as conclusões do relatório técnico datado de 3 de janeiro de 2017, decorrente de inspeção nas dependências do prédio da CMM que foram objetos de reforma e adaptação, no qual são atestadas diversas irregularidades na execução das obras, dentre elas, a utilização de materiais mais baratos e de menor qualidade dos que os previstos no projeto licitado”, finaliza o promotor de Justiça Afonso Guimarães.
Denunciados:
Acácio da Silva Favacho Neto: responderá pelos crimes de fraude em licitação, falsidade ideológica e peculato
Rui Heiner Ferreira Gonçalves: fraude em licitação, falsidade ideológica e peculato
Rogério dos Santos Marques: fraude em licitação e peculato
João Paulo Dias Bentes Monteiro: fraude em licitação, falsidade ideológica e peculato
José Carlos Barbosa Júnior: fraude em licitação e falsidade ideológica
Berlândio Carneiro Portela: fraude em licitação e falsidade ideológica

SABOR E POESIA

DONA NECA

SABOR COM VERSO E PROSA (NECA MACHADO)


DELICIAS DA NECA MACHADO-AMAZONIA

“Sabor com Verso e Prosa...”



“Do latim coquīna, a cozinha é o sítio no qual se prepara a comida. Pode ser o ambiente destinado a essa tarefa num lar ou o espaço específico num restaurante, por exemplo. Na cozinha, de um modo geral, pode-se lavar, cortar, ferver, assar, fritar ou ainda guisar os alimentos, entre outras possibilidades. ”
NM
(Neca Machado)
BIOGRAFIA

Neca Machado (Ativista Cultural, altruísta que preserva os sabores e saberes da Amazônia, através dos Mitos e Lendas da Beira do Rio Amazonas no extremo norte do Brasil, é, Administradora Geral, Artista Plástica, Bacharel em Direito Ambiental, Especialista em Educação Profissional, Escritora de Mitos da Amazônia, fotografa com mais de 150 mil fotografias diversas por 15 Países (Europa, Oceania, América do Sul) 2016, classificada  em 2016  na obra brasileira “Cidades em tons de Cinza”, de novo em 2017, Concurso Urbs,  classificada com publicação de um poema na obra Nacional, “Sarau Brasil”, Novos Poetas de 2016, de novo em 2017. Pesquisadora da Cultura Tucuju, Contista, Cronista, Poetisa, Coautora em 16 obras lançadas em Portugal em 2016 e 2017, Autora independente da Obra Mitos e Lendas da Amazônia, Estórias da Beira do Rio Amazonas, publicada em 02 edições em Portugal em 2017, edição limitada,Coautora na obra lusa, lançada em Lisboa em 09.09.2017, A Vida em Poesia, Coautora da Obra bilíngue português e inglês “Faz de Conto” lançada em Genebra em 28.04.2018, Licenciada Plena em Pedagogia, Gastro-Foto-Jornalista, Blogueira com 30 blogs na web, 26 no Brasil e 04 em Portugal, Quituteira e designer em crochê.)

(Bolinho de Aviú com pesto de Manjericão)



“Cozinhar”

“Não é um ato rotineiro, é um ato de prazer e amor, em valorizar produtos e sentidos” (Neca Machado)

(Bolinho de Piracuí)



          Dona IZABEL MACHADO, orgulhosamente minha MÃE, deixou-me um legado inestimável, SOU SUA SUCESSORA nos sabores e nas descobertas da gastronomia.
Muitos descendentes HERDAM bens, materiais e imateriais, mas, MUITOS não sucedem seus legados, apenas herdam, apenas tomam emprestados o que não lhes pertenciam por justiça ou por merecimento.

MAMÃE era uma eximia QUITUTEIRA, sim, fazia como ninguém, seus verdadeiros QUITUTES com sabores caboclos, sem conhecimentos científicos, sem uma noção acadêmica do que era uma COZINHA CRIATIVA.


COZINHAR - transitivo direto e intransitivo
preparar (alimentos) através da ação do fogo ou de qualquer outro processo; cozer.
"cozinhou batatas para o almoço"

Mamãe desde a década de 40 já fazia a COZINHA CRIATIVA.



Suas delicias tinham características regionais, seus sabores viajavam pela perfeição CABOCLA origem de sua história de vida.
Nunca escutou falar de gastronomia, de nutrição, de segurança alimentar….
Mas seus produtos tinham “segurança alimentar”
Não gostava de “alimento sem sabor”
Me orientou que:
Carne tem que ter TEMPERO.
E assim, segui seus ensinamentos.
Em minhas viagens pelo mundo, e lá se vão mais de 15 Países, sim, Países, e dezenas de cidades pela EUROPA, Oceania, América do Sul, jamais deixei de visitar um verdadeiro Mercado de Produtos alimentícios, e de degustar sabores expostos em vitrines ou restaurantes populares ou renomados como em Lisboa o Restaurante RAMIROS, e no Porto, o RESTAURANTE ESCONDIDINHO, na Alemanha o Zum Baeren, na Argentina, o Santos Manjares, na Espanha em La Coruna, o Restaurante Marisqueria....



Lugares lindos, cheio de encanto ao olhar, cheios de sabores a se viajar e a descobrir encantos escondidos em cada erva, em cada fruto do Mar, em cada colher cheia de magia.

E assim, fui desenvolvendo, minhas habilidades na arte de COZINHAR.
·         Sou apenas uma CURIOSA amante de sabores,
·          Gosto da pimenta moderada em cada paladar,
·         Gosto de limão ao temperar um fruto do mar,
·         Gosto de ervas frescas a perfumarem minhas descobertas,
·         GOSTO DE FLOR DE SAL DO ALGARVES,
·         Gosto de pimenta e cominho no feijão,
·         Gosto da sensação
·         Ao finalizar um prato.


“COZINHAR é prazer,
Amor e paixão em sorver, absorver, descobrir...
Se envolver, com perfumes, com aromas e com a emoção.”



(carré com creme de tucupi)

(Maminha ao molho de alho e limão)

(Pernil no Tucupi)


(Salmão ao azeite extra virgem com salada de espinafre e semente de alho)

BRASILEIRA NA ALMA




sexta-feira, 29 de junho de 2018

REPRODUÇÃO - ESSE É O PRESIDENTE DA CAMARA DE VEREADORES DE MACAPÁ




logo mpA Promotoria de Defesa do Patrimônio Público, da Probidade e das Fundações de Macapá ingressou, no último dia 21 de junho, com denúncia contra o presidente da Câmara de Vereadores (CVM), Acácio Favacho, e mais cinco pessoas pela prática dos crimes de peculato desvio, falsidade ideológica e fraude em licitação, que causaram prejuízo ao erário de, aproximadamente, R$150 mil (cento e cinquenta mil reais).
Segundo as investigações conduzidas pelo Ministério Público do Amapá (MP-AP), o denunciado Acácio Favacho e o presidente da Comissão de Licitações da Câmara de Vereadores de Macapá, Rui Heiner Ferreira, valendo-se da condição de agentes públicos fraudaram o processo licitatório nº002/2013 – SEGER/CMM e desviaram R$115.000,00 (cento e quinze mil reais) de um total de R$147.687,78 (cento e quarenta e sete mil, seiscentos e oitenta e sete reais e setenta e oito centavos), em proveito do também denunciado Rogério dos Santos, irmão de criação do vereador.
Consta nos autos que, no mês de julho de 2013 foi publicado Edital de Carta Convite nº005/2013 – CPL/CMM, decorrente de processo licitatório, tendo como objeto a contratação de empresa para a execução de serviços de reforma dos banheiros, salas reservadas às comissões permanentes e à assessoria de comunicação, e do corrimão das escadas destinada ao público, no valor da global de R$112 mil ( cento e doze mil reais).
Apenas três empresas, o mínimo necessário, foram convidadas pela CPL, quais sejam, a J.J. Monteiro Machado Construções LTDA – EPP, a Porto Construções LTDA-EPP e a Bauhaus Incorporação Construção e Serviços – LTDA. “Frise-se que no cadastro municipal haviam outras sociedades empresárias do ramo da construção civil cadastradas que, todavia, não foram chamadas para o certame”, observa o promotor de Justiça Adauto Barbosa.
No dia 15 de julho de 2013, a empresa J.J. Monteiro Machado Construções LTDA – EPP foi declarada vencedora e logo em seguida, no mês de agosto daquele ano, em “decorrência de supostos acréscimos dos serviços, que não foram justificados, foi firmado Termo Aditivo no valor de R$ 29.980,50 (vinte e nove mil, novecentos e oitenta reais e cinquenta centavos), totalizando R$147.687,78.
“Ocorre que, após minuciosa investigação, constatou-se que o aludido processo licitatório foi fraudado, tendo em vista que foi montada apenas para dar ares de legalidade à contratação direcionada da J.J. MONTEIRO MACHADO CONSTRUÇÕES LTDA – EPP, sociedade empresária que, durante a execução contratual efetuou o desvio de praticamente ¾ (três quartos ) do valor da obra para o enriquecimento ilícito de Rogério Marques, pessoa de confiança e com fortes ligações de amizade com o presidente da Câmara, vereador Acácio Favacho”, sustenta o promotor de Justiça Afonso Guimarães, que também subscreve a ação.
Fraude
O proprietário da empresa vencedora e também denunciado, João Paulo Dias Bentes Monteiro, em regime de colaboração premiada, devidamente homologado pela justiça, declarou que Rogério Marques o procurou dizendo que estava realizando uma construção e precisava de dinheiro para concluí-la, sendo que a Câmara de Vereadores iria fazer uma obra e ele precisava ganhar, ocasião em que pediu para utilizar a sua empresa.
João Paulo declarou ainda ao MP-AP que aceitou a transação na condição de que os tributos da empresa fossem devidamente retidos. Os pagamentos pela Câmara foram realizados em dois cheques na conta da empresa J.J Monteiro. O primeiro no valor de R$112 mil (cento e doze mil reais) e outro de R$29 mil (vinte e nove mil reais). Na sequência, João Paulo comprovou ter depositado na conta de Rogério Marques a quantia de R$ 10 mil (dez mil reais) e o saque em espécie de R$ 30 mil (trinta mil reais), dos quais repassou mais R$10 mil ao denunciado Rogério.
“Quanto ao segundo cheque, o denunciado João Paulo ficou com aproximadamente 17% destinado supostamente aos tributos e o restante, ou seja, quase R$ 25 mil (vinte e cinco mil reais) foram novamente entregues a Rogério Marques”, acrescenta o promotor Eduardo Kelson, com atuação na Promotoria.
João Paulo esclareceu ao MP-AP a origem da sua relação com os demais denunciados, pois aluga máquinas pesadas para a empresa L.C.F. Favacho, registrado em nome da irmã do denunciado Acácio Favacho e gerenciado, mediante o uso de procuração, por Rogério Marques.
“Não bastasse isso verificou-se que de um depósito de R$72 mil (setenta e dois mil reais) feito na conta da sociedade J.J. Monteiro, R$ 70 (setenta mil) foram transferidos no mesmo dia para a conta pessoal do denunciado Rogério Marques, conforme informações extraídas da quebra de sigilo bancário autorizada nos autos”, reforçam os promotores. 
Todas as declarações puderam ser confirmadas pelo MP-AP por meio da fita de caixa bancária juntada aos autos.
Em outro depoimento, ex-servidores da CVM disseram que, embora fossem nomeados na CVM, nunca participaram de uma sessão da CPL e que recebiam de Rui Heiner toda a documentação, com orientações indicando os nomes dos participantes, modelos de ata e rascunhos manuscritos onde já constavam os nomes do vencedor.
Os demais denunciados: José Carlos Barbosa Júnior (representante da sociedade Bauhaus Incorporação Construção e Serviços) e Berlândio Carneiro Portela (um dos proprietários da empresa Porto Construções LTDA – EPP. Ambos apenas entregaram as propostas, mas não participaram do certame. Cientes das irregularidades em andamento, contribuíram tanto para a fraude no processo licitatório, como para a prática do crime de peculato desvio.
“Este quadro inaceitável torna-se ainda mais gravoso para a administração pública quando se observa as conclusões do relatório técnico datado de 3 de janeiro de 2017, decorrente de inspeção nas dependências do prédio da CMM que foram objetos de reforma e adaptação, no qual são atestadas diversas irregularidades na execução das obras, dentre elas, a utilização de materiais mais baratos e de menor qualidade dos que os previstos no projeto licitado”, finaliza o promotor de Justiça Afonso Guimarães.
Denunciados:
Acácio da Silva Favacho Neto: responderá pelos crimes de fraude em licitação, falsidade ideológica e peculato
Rui Heiner Ferreira Gonçalves: fraude em licitação, falsidade ideológica e peculato
Rogério dos Santos Marques: fraude em licitação e peculato
João Paulo Dias Bentes Monteiro: fraude em licitação, falsidade ideológica e peculato
José Carlos Barbosa Júnior: fraude em licitação e falsidade ideológica
Berlândio Carneiro Portela: fraude em licitação e falsidade ideológica

SERVIÇO:
Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Estado do Amapá
Contato: (96) 3198-1616

MARKETING DIGITAL

BEMVINDOS CANDIDATOS A AVENIDA MÃE LUZIA-MACAPÁ, TRAGAM UM TRATOR

MACAPÁ TEM O MELHOR SENADOR DO BRASIL

quinta-feira, 28 de junho de 2018

DONA NECA

SABOR COM VERSO E PROSA (NECA MACHADO)


DELICIAS DA NECA MACHADO-AMAZONIA

“Sabor com Verso e Prosa...”



“Do latim coquīna, a cozinha é o sítio no qual se prepara a comida. Pode ser o ambiente destinado a essa tarefa num lar ou o espaço específico num restaurante, por exemplo. Na cozinha, de um modo geral, pode-se lavar, cortar, ferver, assar, fritar ou ainda guisar os alimentos, entre outras possibilidades. ”
NM
(Neca Machado)
BIOGRAFIA

Neca Machado (Ativista Cultural, altruísta que preserva os sabores e saberes da Amazônia, através dos Mitos e Lendas da Beira do Rio Amazonas no extremo norte do Brasil, é, Administradora Geral, Artista Plástica, Bacharel em Direito Ambiental, Especialista em Educação Profissional, Escritora de Mitos da Amazônia, fotografa com mais de 150 mil fotografias diversas por 15 Países (Europa, Oceania, América do Sul) 2016, classificada  em 2016  na obra brasileira “Cidades em tons de Cinza”, de novo em 2017, Concurso Urbs,  classificada com publicação de um poema na obra Nacional, “Sarau Brasil”, Novos Poetas de 2016, de novo em 2017. Pesquisadora da Cultura Tucuju, Contista, Cronista, Poetisa, Coautora em 16 obras lançadas em Portugal em 2016 e 2017, Autora independente da Obra Mitos e Lendas da Amazônia, Estórias da Beira do Rio Amazonas, publicada em 02 edições em Portugal em 2017, edição limitada,Coautora na obra lusa, lançada em Lisboa em 09.09.2017, A Vida em Poesia, Coautora da Obra bilíngue português e inglês “Faz de Conto” lançada em Genebra em 28.04.2018, Licenciada Plena em Pedagogia, Gastro-Foto-Jornalista, Blogueira com 30 blogs na web, 26 no Brasil e 04 em Portugal, Quituteira e designer em crochê.)

(Bolinho de Aviú com pesto de Manjericão)



“Cozinhar”

“Não é um ato rotineiro, é um ato de prazer e amor, em valorizar produtos e sentidos” (Neca Machado)

(Bolinho de Piracuí)



          Dona IZABEL MACHADO, orgulhosamente minha MÃE, deixou-me um legado inestimável, SOU SUA SUCESSORA nos sabores e nas descobertas da gastronomia.
Muitos descendentes HERDAM bens, materiais e imateriais, mas, MUITOS não sucedem seus legados, apenas herdam, apenas tomam emprestados o que não lhes pertenciam por justiça ou por merecimento.

MAMÃE era uma eximia QUITUTEIRA, sim, fazia como ninguém, seus verdadeiros QUITUTES com sabores caboclos, sem conhecimentos científicos, sem uma noção acadêmica do que era uma COZINHA CRIATIVA.


COZINHAR - transitivo direto e intransitivo
preparar (alimentos) através da ação do fogo ou de qualquer outro processo; cozer.
"cozinhou batatas para o almoço"

Mamãe desde a década de 40 já fazia a COZINHA CRIATIVA.



Suas delicias tinham características regionais, seus sabores viajavam pela perfeição CABOCLA origem de sua história de vida.
Nunca escutou falar de gastronomia, de nutrição, de segurança alimentar….
Mas seus produtos tinham “segurança alimentar”
Não gostava de “alimento sem sabor”
Me orientou que:
Carne tem que ter TEMPERO.
E assim, segui seus ensinamentos.
Em minhas viagens pelo mundo, e lá se vão mais de 15 Países, sim, Países, e dezenas de cidades pela EUROPA, Oceania, América do Sul, jamais deixei de visitar um verdadeiro Mercado de Produtos alimentícios, e de degustar sabores expostos em vitrines ou restaurantes populares ou renomados como em Lisboa o Restaurante RAMIROS, e no Porto, o RESTAURANTE ESCONDIDINHO, na Alemanha o Zum Baeren, na Argentina, o Santos Manjares, na Espanha em La Coruna, o Restaurante Marisqueria....



Lugares lindos, cheio de encanto ao olhar, cheios de sabores a se viajar e a descobrir encantos escondidos em cada erva, em cada fruto do Mar, em cada colher cheia de magia.

E assim, fui desenvolvendo, minhas habilidades na arte de COZINHAR.
·         Sou apenas uma CURIOSA amante de sabores,
·          Gosto da pimenta moderada em cada paladar,
·         Gosto de limão ao temperar um fruto do mar,
·         Gosto de ervas frescas a perfumarem minhas descobertas,
·         GOSTO DE FLOR DE SAL DO ALGARVES,
·         Gosto de pimenta e cominho no feijão,
·         Gosto da sensação
·         Ao finalizar um prato.


“COZINHAR é prazer,
Amor e paixão em sorver, absorver, descobrir...
Se envolver, com perfumes, com aromas e com a emoção.”



(carré com creme de tucupi)

(Maminha ao molho de alho e limão)

(Pernil no Tucupi)


(Salmão ao azeite extra virgem com salada de espinafre e semente de alho)