rio

rio

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

TODOS, TEM SONHOS, MAS MUITOS NÃO CONCRETIZAM, FICAM SÓ EM SONHOS.

CRONICAS DA NECA MACHADO


“OS SONHOS QUE FICARAM PELO CAMINHO...”


(cansei do cheiro de esgoto, amo contemplar o MAR, e bem longe da LAMA.)



                               
BIOGRAFIA

Neca Machado (Ativista Cultural, altruísta que preserva os sabores e saberes da Amazônia, através dos Mitos e Lendas da Beira do Rio Amazonas no extremo norte do Brasil, é, Administradora Geral, Artista Plástica, Bacharel em Direito Ambiental, Especialista em Educação Profissional, Escritora de Mitos da Amazônia, fotografa com mais de 100 mil fotografias diversas por 11 Países (Europa, Oceania, América do Sul) 2016, classificada  em 2016  na obra brasileira “Cidades em tons de Cinza”, de novo em 2017, Concurso Urbs,  classificada com publicação de um poema na obra Nacional, “Sarau Brasil”, Novos Poetas de 2016, de novo em 2017. Pesquisadora da Cultura Tucuju, Contista, Cronista, Poetisa, Coautora em 10 obras lançadas em Portugal em 2016 e 2017, Autora independente da Obra Mitos e Lendas da Amazônia, Estórias da Beira do Rio Amazonas, publicada em 02 edições em Portugal em 2017, edição limitada, Coautora na obra lusa, lançada em Lisboa em 09.09.2017, A Vida em Poesia, Licenciada Plena em Pedagogia, Gastro-Foto-Jornalista, Blogueira com 25 blogs na web, 21 no Brasil e 04 em Portugal, Quituteira e designer em crochê.)





“OS SONHOS QUE FICARAM PELO CAMINHO...”

·         Na estação do metrô em Portugal, repenso na Angolana que raspava loterias, talvez pensando em um futuro melhor para si e sua família e resolvo “revolver” na memória, velhos SONHOS QUE FICARAM PELO CAMINHO...
·        (Mas, MUITOS deles se concretizaram.)
·        Com o passar dos anos, aprendi a ter discernimento e a absolver sabedoria de outros mais experientes.
·        Observo que o envelhecimento trouxe para muitos, demência, mas, no meu caso, me trouxe MUITA CORAGEM, coragem de sair do lugar, coragem de descobrir novos sabores, coragem de conhecer novas culturas, coragem de ariscar.
·        Quando DECIDI investir na poesia internacional, MUITOS até talvez me tenham qualificado de “louca” por querer SONHAR TÃO ALTO, quando em terras onde nasci, sequer o respeito é notado ao meu trabalho de décadas, talvez morta tenha reconhecimento, mas NÃO estarei contente onde estiver, porque nem quero ser sepultada, pelos meus DESEJOS, quero ser CREMADA e minhas cinzas jogadas no OCEANO ATLANTICO na Europa, “não quero ser jogada no Rio Amazonas por favor, e nem terei o prazer de sorrir ao receber homenagens póstumas.”
·        (Deixarei em vida um codicilo a Dimitrius, meu filho que tem me acompanhado que meu desejo seja concretizado.)
·        E volto a lembrar de quantos sonhos por aí ficaram no caminho. Muitos tem sonhos, outros divagam, outros deliram...
LEMBRANÇAS

·        Sou Professora e um dia uma aluna minha que tinha problemas com outra aluna por ciúmes, a aluna criticada era linda, e a outra menos bela, um dia perguntei sobre sonhos na sala de aula a ela, e me respondeu que queria ir para o Canadá. Talvez nem tenha saído de Macapá.
·        Observei que um Homem sentava em um banco décadas, as vezes delirava, noutras somente criticava, mas, continua no mesmo lugar, não comprou uma bicicleta nova, não tem uma casa longe da lama, não foi a universidade, mas, talvez tivesse sonhos, que nunca realizou, continua no mesmo lugar.
·        Continuei a observar uma Mulher cheia de sonhos de grandeza, megalômana, só pensava em riqueza, não tem trabalho, não passou em um concurso público e não é mais jovem. O tempo passou.
 Continua na lama, sentindo o cheiro de fezes, talvez tenha conquistado um novo amor, talvez pela sua agressividade, e seus nomes obscenos, tenha sido agredida por outro nas madrugadas, deveria ter mais humildade e não perder seu tempo, assim seus SONHOS seriam realizados.

·        Aí lembrei de um jovem que SONHOU que, queria ir para o exterior, se perdeu no caminho, nem planejou sua viagem e seus sonhos ficaram no ar. Viajar exige determinação, planejamento, economia, controle, conhecimento do País com suas LEIS. Senão vai ficar no aeroporto, e ser deportado, eu já vi um monte barrado na Europa. A legislação funciona, são rigorosos.
·        E EU, só queria em SONHOS, por ter um “açaizal” 100 pés de açaizeiros no meu quintal, só queria comprar uma amassadeira de açaí para tomar um açaí puro, limpo de impurezas.
 Tenho procurado comprar açaí, mas me decepciono cada vez que descubro produtos que colocam no açaí que perde até o “roxo” de sua cor, nem comprei a amassadeira, viajei mais de 11 Países, sim, Países, da Oceania a Europa, passando pela América do Sul, e não comprei minha AMASSADEIRA DE AÇAI, e nem vou comprar mais, um SONHO que ficou pelo caminho. Junto com outro que era comprar uma máquina de moer cana, sim, amo GARAPA fresca, pura, saída na hora, mas, infelizmente, estes SONHOS, não serão concretizados, não vou comprar mais.
·        Mas um SONHO que se realizou, foi ver o MAR, amo o MAR, tenho até MAR em meu nome MAR+IA= MARIA.


AMO CONTEMPLAR O MAR, poderoso, as vezes tempestuoso, as vezes cheio de calmaria, noutros pura REVOLTA de aguas, amo, simplesmente AMO SOMENTE CONTEMPLAR, não gosto de duelar com o MAR, deixo a ele o PODER de ser imperador das aguas, não gosto de navegar no mar, gosto apenas de CONTEMPLAR. E quero ser depositada no MAR, voltar ao MAR, minhas cinzas jogadas ao MAR.







MAIS UMA OBRA LITERARIA DE NECA MACHADO EM PORTUGAL, SÃO 13 COLETIVAS E 02 INDIVIDUAIS

MITOLOGIA DA AMAZONIA

Estórias recontadas por Neca Machado




Mitologia da Amazônia é uma coletânea de conversas com PIONEIROS residentes no extremo norte do Brasil, recolhidas ao longo de mais de quarenta anos, onde aprendemos somente a escutar estórias, que fizeram parte de nossa infância, vividas no bairro do Laguinho, reduto de manifestações culturais expressivas, misturando lembranças de uma geração em que a importância das historias contadas por minha avó Dona Leopoldina Machado perpetuou dentro de mim, um sentimento de bairrismo com nossa raiz afrodescendente para dividirmos com as futuras gerações que não conhecem a história de homens ribeirinhos da Amazônia.



Tomamos um amor especial por um tema onde o POÇO DO MATO, é central, ele fica localizado no coração do bairro do Laguinho, no meio da Avenida Padre Manoel da Nóbrega, no centro da cidade de Macapá, entre as ruas: General Rondon e São José, e foi declarado Monumento de interesse cultural do Estado do Amapá, através do Projeto de Lei nº 037/93, da Câmara de Vereadores do Município de Macapá.

O POÇO DO MATO possui importância impar para o povo amapaense, foi tema de samba enredo da Escola Jardim Felicidade no ano de 2007, por indicação do carnavalesco Carlos Pirú, e teve como samba enredo o titulo: “Poço do Mato, águas laguinenses que banharam o meu corpo e saciaram minha sede. ” Era um cenário de um meio ambiente cultural até a década de setenta dos mais belos no entorno da área de ressaca do bairro do Laguinho no estado do Amapá, extremo norte do Brasil.

Pela crendice popular, em sua área de densa floresta, povoavam mitos e lendas, onde o cenário de medo predominava, com seres inimagináveis, assombrações e personagens folclóricos que se misturavam num espetáculo de magia e encantamento que fizeram parte da infância de muita gente no Amapá. Hoje totalmente desaparecido por sucessivas invasões, onde tornou-se uma imensa favela com uma fossa de dejetos humanos no coração da cidade de Macapá-Amapá.

Uma das principais personagens referenciais do POÇO DO MATO, foi o executor da obra que fazia parte do desenvolvimento da antiga Companhia de Água do Amapá, e das principais obras da cidade de Macapá onde ele foi o responsável pela construção, o português ANTONIO PEREIRA DA COSTA, nascido em Vila Nova de Gaia-Porto-Portugal a 17 de fevereiro de 1901, e falecido em Macapá a 03 de julho de 1983. Hoje com um Memorial na cidade de Valadares levado o seu acervo pela determinação desta amapaense, e uma das maiores pesquisadoras de sua obra e oficio na arte de escultor ornatista.









quarta-feira, 30 de agosto de 2017

RATOS, SERÃO SEMPRE RATOS...

A SENSATEZ DE UM IGNORANTE!
ARTIGO

A SENSATEZ DE UM IGNORANTE!

“Porém, vale a PRUDENCIA: Quando o navio afunda, os RATOS correm para a margem. ”




(Adeus! AMIGO, não posso ficar com você aqui –“PRISÃO”, vou te visitar assim que sair, para tomarmos o nosso vinho como nos velhos tempos.)


BIOGRAFIA

Neca Machado (Ativista Cultural, altruísta que preserva os sabores e saberes da Amazônia, através dos Mitos e Lendas da Beira do Rio Amazonas no extremo norte do Brasil, é, Administradora Geral, Artista Plástica, Bacharel em Direito Ambiental, Especialista em Educação Profissional, Escritora de Mitos da Amazônia, fotografa com mais de 100 mil fotografias diversas por 11 Países (Europa, Oceania, América do Sul) 2016, classificada  em 2016  na obra brasileira “Cidades em tons de Cinza”, Concurso Urbs,  classificada com publicação de um poema na obra Nacional, “Sarau Brasil”, Novos Poetas de 2016, Pesquisadora da Cultura Tucuju, Contista, Cronista, Poetisa, Coautora em 10 obras lançadas em Portugal em 2016 e 2017, Autora independente da Obra Mitos e Lendas da Amazônia, Estórias da Beira do Rio Amazonas, publicada em 02 edições em Portugal em 2017, edição limitada, Licenciada Plena em Pedagogia, Gastro-Foto-Jornalista, Blogueira com 25 blogs na web, 21 no Brasil e 04 em Portugal, Quituteira e designer em crochê.)




ARTIGO

A SENSATEZ DE UM IGNORANTE!


“Baltazar Gracian – escreveu que a PRUDENCIA É UMA ARTE


Arrogante “acha” que só ele é o sábio, mas, quando sabiamente observamos e interpretamos as PALAVRAS sabias ditas por muitos IGNORANTES, sim, a maioria IGNORA, ou desconhece o sentido cientifico e filosófico das palavras, mas, SABE, a sua maneira, muitas vezes CABOCAS, nortistas, ribeirinhas, interpreta-las melhor do que quem foi a Universidade, é preciso escutar atentamente.


(Ratos, só ficam perto, quando há queijo)




“Sabe Dona, as pessoas grandes, pensam que ainda somos bestas, olha só: o Juiz não era amigo do deputado ladrão? E a autoridade da justiça vive na casa do Prefeito, como é que ele vai trabalhar, se quem vai julgar seus processos, come no mesmo prato? ” (Caboco na Beira do Igarapé das Mulheres)

E aí, EU (Neca Machado) tive que sair de fininho sem OPINAR, para não começar uma discussão.

Porque a minha OPINIÃO não é igual à do Juiz, do desembargador..., mas, sim, coerente com a norma, que a autoridade do judiciário CONHECE MUITO BEM.

·         E o CABOCO TEM RAZÃO!

Sabe Dona, eu quando vou a Igreja, quero escutar do Padre, um alento para minha angustia espiritual, quero entender os ensinamentos da bíblia, quero me confortar em Deus, mas está cada vez, mais difícil.
 Um dia o Padre me assustou com essa: Reclamando na frente dos fiéis que tinham chamado ele de cachaceiro, e de pedófilo, eu nem sei o que é pedófilo, e ele parece que nem quer mais ser Padre, vive angustiado, grita, reclama demais, por que ele não larga a batina? ”

E EU (Neca Machado), nem consigo responder a tantas indagações.


(Ratos, continuarão RATOS...)

Um dia pensei em ser Psicóloga, para entender a mente humana, mas, quando descobri que uma profissional da área, nem conseguia resolver seus próprios conflitos, repensei.
 Decidi ser administradora, e encontrei na profissão todos que são administradores e me desencantei.
 Tentei ser advogada, fui estudar Direito, ai, nem passei no exame de ordem e fiquei somente como Bacharel, e desisti, ao perceber que as LEIS são ineficazes.

Como entender a sensatez de um Ignorante?

Tão sábio, tão perspicaz em seus entendimentos.

É a vida.

·         A SENSATEZ DE SUA IGNORANCIA.


·         Se o Prefeito NÃO trabalha, ele vai ter problemas na justiça para se explicar sobre suas despesas e gastos dentro da Lei de Responsabilidade fiscal em vigor. (E quando for preso, vai ficar sozinho...)
·         Se a autoridade que vive fazendo MEDIA na casa do Prefeito e do LADRÃO, ou do Prefeito Ladrão (?) ela também vai se explicar junto a corregedoria do CNJ, quando os processos dele (Prefeito (?) ) chegarem por lá e não forem analisados e fiscalizados, além de PROCESSADOS como deveriam ser. São dezenas ou centenas de CRIMES cometidos, desde omissão, prevaricação ou corrupção passiva....

·         Sem entrar no mérito da AMIZADE entre ladrão e autoridade, TODOS têm direito a ESCOLHEREM seus amigos. Mas, o bom senso, a prudência, a precaução, são como canja de galinha...)

·         Mas, para Baltazar Gracian, a PRUDENCIA deveria vir em PRIMEIRO LUGAR, já que cargo público, tem LEI, tem estatuto, tem corregedoria, tem processo, tem aposentadoria compulsória, tem perda da função....
·         E aí o CABOCO com seus pensamentos SABIOS, antecipou a reflexão: sim, o gestor precisa TRABALHAR,

·         Veja um exemplo:
·         Alimentos que são essenciais para a VIDA, devem ser comercializados em ambiente HIGIENICAMENTE fiscalizados pela vigilância sanitária, segundo a segurança alimentar e as normas de biossegurança, mas, aqui no Amapá, é diferente, o local que deveria servir para comercializar ALIMENTOS, virou um deposito de lixo, e o Prefeito fez um monte de BARRACAS DE MADEIRA em via pública na área central da cidade, e a FEIRA que deveria ser SEGURA, não é.

·         E aí: locais que não são para comercialização, viraram FEIRAS LIVRES.

·         FAZER O QUE?

·         Se quem deveria FISCALIZAR e punir, é AMIGO DO GESTOR?


“Porém, vale a PRUDENCIA: Quando o navio afunda, os RATOS correm para a margem, deixando quem antes idolatravam, sozinhos. ”
E na dor que você percebe os verdadeiros AMIGOS.
Tenha um câncer, uma Aids, uma doença contagiosa....
Os Ratos deixarão VOCE (   ) SOZINHO.






(Adeus! AMIGO, não posso ficar com você aqui (PRISÃO, vou te visitar assim que sair.)


A SENSATEZ, A IGNORÂNCIA E A HIPOCRISIA

A SENSATEZ DE UM IGNORANTE!




A SENSATEZ DE UM IGNORANTE!




“Porém, vale a PRUDENCIA: Quando o navio afunda, os RATOS correm para a margem. ”


(Adeus! AMIGO, não posso ficar com você aqui (PRISÃO, vou te visitar assim que sair.)


BIOGRAFIA

Neca Machado (Ativista Cultural, altruísta que preserva os sabores e saberes da Amazônia, através dos Mitos e Lendas da Beira do Rio Amazonas no extremo norte do Brasil, é, Administradora Geral, Artista Plástica, Bacharel em Direito Ambiental, Especialista em Educação Profissional, Escritora de Mitos da Amazônia, fotografa com mais de 100 mil fotografias diversas por 11 Países (Europa, Oceania, América do Sul) 2016, classificada  em 2016  na obra brasileira “Cidades em tons de Cinza”, Concurso Urbs,  classificada com publicação de um poema na obra Nacional, “Sarau Brasil”, Novos Poetas de 2016, Pesquisadora da Cultura Tucuju, Contista, Cronista, Poetisa, Coautora em 10 obras lançadas em Portugal em 2016 e 2017, Autora independente da Obra Mitos e Lendas da Amazônia, Estórias da Beira do Rio Amazonas, publicada em 02 edições em Portugal em 2017, edição limitada, Licenciada Plena em Pedagogia, Gastro-Foto-Jornalista, Blogueira com 25 blogs na web, 21 no Brasil e 04 em Portugal, Quituteira e designer em crochê.)

ARTIGO 



A SENSATEZ DE UM IGNORANTE!


“Baltazar Gracian – escreveu que a PRUDENCIA É UMA ARTE


Arrogante “acha” que só ele é o sábio, mas, quando sabiamente observamos e interpretamos as PALAVRAS sabias ditas por muitos IGNORANTES, sim, a maioria IGNORA, ou desconhece o sentido cientifico e filosófico das palavras, mas, SABE, a sua maneira, muitas vezes CABOCAS, nortistas, ribeirinhas, interpreta-las melhor do que quem foi a Universidade, é preciso escutar atentamente.


“Sabe Dona, as pessoas grandes, pensam que ainda somos bestas, olha só: o Juiz não era amigo do deputado ladrão? E a autoridade da justiça vive na casa do Prefeito, como é que ele vai trabalhar, se quem vai julgar seus processos, come no mesmo prato? ” (Caboco na Beira do Igarapé das Mulheres)

E aí, EU tive que sair de fininho sem OPINAR, para não começar uma discussão.
Porque a minha OPINIÃO não é igual à do Juiz, do desembargador..., mas, sim, coerente com a norma, que a autoridade do judiciário CONHECE MUITO BEM.

·         Se o Prefeito NÃO trabalha, ele vai ter problemas na justiça para se explicar sobre suas despesas e gastos dentro da Lei de Responsabilidade fiscal em vigor. (E quando for preso, vai ficar sozinho...)
·         Se a autoridade que vive fazendo MEDIA na casa do Prefeito e do LADRÃO, ou do Prefeito Ladrão (?) ela também vai se explicar junto a corregedoria do CNJ, quando os processos dele (Prefeito (?) ) chegarem por lá e não forem analisados e fiscalizados, além de PROCESSADOS como deveriam ser. São dezenas ou centenas de CRIMES cometidos, desde omissão, prevaricação ou corrupção passiva....

·         Sem entrar no mérito da AMIZADE entre ladrão e autoridade, TODOS têm direito a ESCOLHEREM seus amigos. Mas, o bom senso, a prudência, a precaução, são como canja de galinha...)

·         Mas, para Baltazar Gracian, a PRUDENCIA deveria vir em PRIMEIRO LUGAR, já que cargo público, tem LEI, tem estatuto, tem corregedoria, tem processo, tem aposentadoria compulsória, tem perda da função....
·         E aí o CABOCO com seus pensamentos SABIOS, antecipou a reflexão: sim, o gestor precisa TRABALHAR,

·         Veja um exemplo:
·         Alimentos que são essenciais para a VIDA, devem ser comercializados em ambiente HIGIENICAMENTE fiscalizados pela vigilância sanitária, segundo a segurança alimentar e as normas de biossegurança, mas, aqui no Amapá, é diferente, o local que deveria servir para comercializar ALIMENTOS, virou um deposito de lixo, e o Prefeito fez um monte de BARRACAS DE MADEIRA em via pública na área central da cidade, e a FEIRA que deveria ser SEGURA, não é.

·         E aí: locais que não são para comercialização, viraram FEIRAS LIVRES.

·         FAZER O QUE?

·         Se quem deveria FISCALIZAR e punir, é AMIGO DO GESTOR?
·         E o CABOCO TEM RAZÃO!

a

·         A SENSATEZ DE SUA IGNORANCIA.



“Porém, vale a PRUDENCIA: Quando o navio afunda, os RATOS correm para a margem. ”


(Adeus! AMIGO, não posso ficar com você aqui (PRISÃO, vou te visitar assim que sair.)

domingo, 27 de agosto de 2017

PORTO, O MELHOR DESTINO TURISTICO DA EUROPA, ELEITO EM 2017

ESSE PORTUGUES DE PORTUGAL! EGUA!

“TAS FRESCAS?”
(CRONICAS URBANAS EM PORTUGAL, PORTUGUES DE PORTUGAL)
BIOGRAFIA

Neca Machado (Ativista Cultural, altruísta que preserva os sabores e saberes da Amazônia, através dos Mitos e Lendas da Beira do Rio Amazonas no extremo norte do Brasil, é, Administradora Geral, Artista Plástica, Bacharel em Direito Ambiental, Especialista em Educação Profissional, Escritora de Mitos da Amazônia, fotografa com mais de 100 mil fotografias diversas por 11 Países (Europa, Oceania, América do Sul) 2016, classificada  em 2016  na obra brasileira “Cidades em tons de Cinza”, de novo em 2017, Concurso Urbs,  classificada com publicação de um poema na obra Nacional, “Sarau Brasil”, Novos Poetas de 2016, de novo em 2017. Pesquisadora da Cultura Tucuju, Contista, Cronista, Poetisa, Coautora em 10 obras lançadas em Portugal em 2016 e 2017, Autora independente da Obra Mitos e Lendas da Amazônia, Estórias da Beira do Rio Amazonas, publicada em 02 edições em Portugal em 2017, edição limitada, Coautora na obra lusa, lançada em Lisboa em 09.09.2017, A Vida em Poesia, Licenciada Plena em Pedagogia, Gastro-Foto-Jornalista, Blogueira com 25 blogs na web, 21 no Brasil e 04 em Portugal, Quituteira e designer em crochê.)





TAS FRESCAS!

No Metro sento e aguardo a partida para a cidade do Porto, no trem entram duas afrodescendentes, uma senta ao meu lado e a outra na frente, a do meu lado começa a raspar umas “raspadinhas” de loteria, e EU como sempre observadora, fico “só abicorando”, (observando).
A da frente diz em som irônico: “num ganhaste, mas, pelo menos tiraste a metade do dinheiro”, escuto e vejo que falam um português diferenciado, pergunto curiosa; são de Angola? Não sei por que mais perguntei se eram de Angola.
A do meu lado responde que sim.
Tento puxar conversa, a da frente, me olha feio.
A do lado diz que sim, e como me deu atenção, continuo a conversar.
Digo:  houve eleição nessa semana no teu País.
E ela: Sim, vai continuar a mesma coisa.
A da frente desce na parada, e nós duas vamos continuar.
Digo: veio estudar aqui em Portugal?
E ela: não.
 Trabalho, estou aqui há mais de 17 anos, (penso: deve ser doméstica, pela conversa, diz que tem mais um serviço a fazer).
E digo: você é jovem, e ela: tenho mais de 47 anos,
E EU: que bom que somos afrodescendentes, a nossa pigmentação ajuda a preservar a idade.
E eu já estou com 56 anos.
E ela me olha surpresa, e sai-se com essa: “TAS FRESCA!”
E começo a sorrir.
Pensando de novo nas diferenças entre a língua portuguesa exercida no Brasil e a de Portugal.
“TAS FRESCA no Brasil, seria alguém CHEIA DE FRESCURA, arrogância, presunção, PAVULAGEM...”
E TAS FRESCA AQUI, em Portugal onde passo um tempo,
É estar cheia de FRESCOR, vitalidade, VIDA.
E ai, me lembrei de tantas outras diferenças lexograficas....

·        Aqui foi uma semana intensa, quando um carro (CARRINHA) que seria um pequeno caminhão que aqui é CAMIÃO, atropelou diversas pessoas e matou outras tantas em uma rua movimentada do centro de Barcelona, e a tal CARRINHA dirigida por um terrorista, foi centenas de vezes citada nas matérias de televisão.
·        Mas para alguém que está de SACO CHEIO, no Brasil, é irritado com muitas situações que pessoas as vezes nos trazem, aqui em Portugal, é apenas um SACO CHEIO de produtos.
·        E ai, me lembrei da CASA DE BANHO, que no Brasil é o nosso tal banheiro.
·        E por aqui ainda usam uma palavra que há muito já foi esquecida e está em desuso em terras tucujus, RETRETE. A velha cintina, ou uma privada.
·        E me lembrei que na frente da minha casa tem uma FAVELA, mas aqui é um bairro de LATA, que lá, de lata, lá não tem nada, quem mora nas casas de lata tem até carro e moto.
·        Égua.
E aqui algumas diferenças.

caqui
dióspiro
pimentão
pimento
banheiro
casa de banho, quarto de banho
caminhão
camião/carrinha
ceia de Natal
consoada
cesta de Natal
cabaz de Natal
concreto
betão
favela
bairro-de-lata, musseque (em Angola e Moçambique
Fila (de pessoas)
fila (de pessoas), bicha

maiô
fato-de-banho
ônibus
autocarro, machimbombo 
trem
comboio
vaso (sanitário), privada
sanita, retrete

telefone celular
telemóvel
fazenda
quinta
café da manhã, desjejum
pequeno-almoço, desjejum, matabicho (em Angola e Moçambique)


equipe
equipa
gol
golo
goleiro
guarda-redes, guarda-de-redes

esferovite
O mesmo que poliestireno.
mouse
rato