rio

rio

segunda-feira, 30 de julho de 2018

NECA MACHADO, 17 OBRAS NA EUROPA E 05 NO BRASIL

LIVRO DIGITAL DA NECA MACHADO

LEMBRANÇAS AMARGAS

PUTAS VELHAS TEM MUITAS ESTORIAS, E NÃO GUARDAM SEGREDOS...UM DIA CONTAM

TODO MUNDO SABE...

SEGREDOS ? NEM TANTO....



LIVRO DIGITAL


CRONICAS DA NECA MACHADO
“MEMORIAS DE PUTAS VELHAS-LEMBRANÇAS AMARGAS”

(PUTA VELHA, E O VESTIDO DA MADAME.)

PESQUISAS.

(Para que segredos?) Eu amo escutar...


BIOGRAFIA

Neca Machado (Ativista Cultural, altruísta que preserva os sabores e saberes da Amazônia, através dos Mitos e Lendas da Beira do Rio Amazonas no extremo norte do Brasil, é, Administradora Geral, Artista Plástica, Bacharel em Direito Ambiental, Especialista em Educação Profissional, Escritora de Mitos da Amazônia, fotografa com mais de 100 mil fotografias diversas, premiada em 2016 com classificação na obra brasileira “Cidades em tons de Cinza”, Concurso Urbs,  classificada com publicação de um poema na obra Nacional, “Sarau Brasil”, Novos Poetas de 2016, Pesquisadora da Cultura Tucuju, Contista, Cronista, Poetisa, Coautora em 16 obras lançadas em Portugal em 2016, 2017, e uma em Genebra em 2018, em edição bilíngue português e inglês, Licenciada Plena em Pedagogia, Gastro-Foto-Jornalista, Blogueira com 25 blogs na web, 21 no Brasil e 04 em Portugal, Quituteira e designer em crochê.)


LIVRO DIGITAL
CRONICAS DA NECA MACHADO
“MEMORIAS DE PUTAS VELHAS-LEMBRANÇAS AMARGAS”

(PUTA VELHA, E O VESTIDO DA MADAME.)
PESQUISAS.


Antigamente, nem tão longe em Macapá, a população tinha mania de frequentar o velho Mercado Central.

Ele realmente era palco de encontro entre Pioneiros que iam para serem vistos e verem e ouvirem as novidades.

 Em Macapá com a vinda de Janary Nunes, também veio muito Doutor. (Não fizeram doutorado nem mestrado, mas ganharam de presente o título de DOUTOR.)


          E as suas ESPOSAS, algumas delas foram ficando por aqui, e gostavam do bucolismo da cidade, mas a vida era meio monótona, e para mudar essa rotina, também vieram CAFETINAS de fora, muitas se gabavam que eram do Sul do País, tinham apenas alguns olhos diferentes, alguns azuis, outros amarelos, verdes eram a sedução, atravessaram apenas o Rio Amazonas e se deram bem por aqui, e algumas também se deram bem, até em Caiena na Guiana francesa,mas isso fica para outra estória.

E lá foi a Madame “metida e pavulagem” ao Mercado Central.

Cheia de não me toques, dedinho em riste para a doméstica que a acompanhava, passou pelo açougue, foi no boxe do japonês ver as verduras para uma tal sopa, que o doutor amava, comprou cheiro verde, chicória, gostava de alfavaca, há gritou, vamos ali que esqueci do alho...

A ideia não foi boa.

Olhou, olhou de novo, esfregou o olho, olhou para a serviçal, e disse surpresa:

 “ACHO QUE VI MEU VESTIDO ALI...”

ONDE?

Perguntou a Mulher espantada.
Naquela Mulher de cabelo longo.
É o meu vestido sim!

Aquele vestido é meu, eu comprei em Belém do Pará, só tinha ele, é o meu vestido sim!
Apontou o dedo, deu um grito forte, é o MEU VESTIDO.

E a PUTA VELHA:

MANA DO CEU!

Me virei e vi uma MULHER DIABOLICA.

A Mulher tinha pegado santo.
Tirou o sapato jogou em cima de mim,
Mas, como eu era mais esperta, corri feito Catita com fome.

E nem sei onde cheguei.
A língua estava para botar para fora, meio palmo.
Meu coração batia tanto, que pensei que ia morrer.
Nem sei como cheguei no PUTEIRO para contar a história.

Depois do susto rimos o dia todo que quase me mijo de tanto rir.

EU (   ) tinha meus clientes fixos, mas de vez em quando ia no Mercado Central achar um PATO.

E GANHEI O TAL VESTIDO DO DOUTOR
MENTIROSO

Disse que tinha trazido de uma de suas viagens,
Especialmente para mim.
E olha que confiei, e tratei ele feito um REI.
Mas, bem que lembro, tinha um cheiro de SUVACO forte.
E AINDA PERGUNTEI: ESSE VESTIDO NÃO É USADO?

E ELE:

Com cara de SANTO.
Não,
 Imagina, alguém deve ter experimentado e não deu e deixou o suor.
ACREDITEI.

Quase a MULHER ME MATA.

Depois virei esperta.


----------------------------------------------------------------------------------------------------------------


SECULO XXI



As PROSTITUTAS do século XXI, não gostam mais de perfumes baratos, nem de sapatos de marreteiros, e nem de vestidos USADOS de esposas fieis (   )
Gostam de viagens internacionais, Roupas de marca, bolsas DG, Joias de ouro, diamante, carros de Luxo, sapatos de saltos vermelhos, querem CASAR, fazem universidade, GOSTAM DE DUBAI...

E AS VELHAS MADAMES NEM TANTO SÃO FIEIS.

Nem tanto, quando sabem das traições, dão o TROCO.

 Muitas ainda precisam se resguardar porque tem a TAL SOCIEDADE, o casamento já acabou há muito tempo. MUITO MARIDO tem dupla personalidade, são avós e maridos EXEMPLARES, mas, na alcova, são homossexuais, tem doenças como hepatite C, e ainda as contaminam.

COITADAS.
Todo mundo sabe.

SEGREDOS PARA QUE?
SE TODO MUNDO SABE.



DICAS DA NECA MACHADO - VIAJAR EXIGE PLANEJAMENTO

DICAS DE VIAGEM


DICAS DE VIAGEM POR NECA MACHADO
“UMA VIAGEM GASTRONOMICA POR PORTUGAL)

*Viajar exige ECONOMIA...

Viajar, exige planejamento...
Viajar, exige conhecimento sobre o Pais...
Viajar exige normas de conduta e etica....
*Departamento de fronteiras na Europa é rigoroso.



(Neca Machado)
BIOGRAFIA

Neca Machado (Ativista Cultural, altruísta que preserva os sabores e saberes da Amazônia, através dos Mitos e Lendas da Beira do Rio Amazonas no extremo norte do Brasil, é, Administradora Geral, Artista Plástica, Bacharel em Direito Ambiental, Especialista em Educação Profissional, Escritora de Mitos da Amazônia, fotografa com mais de 100 mil fotografias diversas por 11 Países (Europa, Oceania, América do Sul) 2016, classificada  em 2016  na obra brasileira “Cidades em tons de Cinza”, de novo em 2017, Concurso Urbs,  classificada com publicação de um poema na obra Nacional, “Sarau Brasil”, Novos Poetas de 2016, de novo em 2017. Pesquisadora da Cultura Tucuju, Contista, Cronista, Poetisa, Coautora em 15 obras lançadas em Portugal em 2016 e 2017, Autora independente da Obra Mitos e Lendas da Amazônia, Estórias da Beira do Rio Amazonas, publicada em 02 edições em Portugal em 2017, edição limitada, Coautora na obra lusa, lançada em Lisboa em 09.09.2017, A Vida em Poesia, Licenciada Plena em Pedagogia, Gastro-Foto-Jornalista, Blogueira com 25 blogs na web, 21 no Brasil e 04 em Portugal, Quituteira e designer em crochê.)






Quem vai a PORTUGAL e não faz um roteiro pela gastronomia local, é como ir a Roma e não ver o Papa...

          Em cada esquina onde há um Café, existe uma vitrine cheia de encanto para deleite de quem ama gastronomia, mas, é preciso entender que CADA UM,como viajante ou turista, tem SEU PALADAR, E IMPOR GOSTO, não é salutar.

NECA MACHADO

          Sou uma inquieta pesquisadora de sabores pelo Mundo, nasci no coração da Amazônia, no meio do Mundo, sentindo a brisa do maior Rio de agua doce do planeta, o RIO AMAZONAS, e como CABOCLA, possuímos um paladar singular, a AMAZONIA possui sabores E PRODUTOS únicos.

E resolvi visitar e pesquisar lugares e sabores em Portugal.
Não sou amante dos doces portugueses, gosto imensamente dos sabores doMAR.



FRUTAS E DOCES

 (TEM TODAS AS FRUTAS DO MUNDO NA EUROPA)



Para quem gosta de DOCES, a diversidade e a tradição portuguesa é insuperável, doces seculares, muitos criados em Conventos, transcendem séculos para deleite de quem os ama, o viajante vai degustar em muitasPADARIAS tradicionais e cafés, sabores únicos como: Os famosos Pasteis de Nata feitos com massa folhada e creme de gemas, com sua inigualável superfície caramelada, além dos: Quindins, Pasteis de Santa Clara, Pasteis do Convento de Coimbra, Os Jesuítas, Toucinho do Céu, os travesseiros de Sintra, os doces de amêndoa e os Ovos moles.....
AMO PARTICULARMENTE OS FOLHADOS, são como folhas de papeis iluminadas por uma textura sem igual, onde a poesia no palato escreve maravilhas.

SALGADOS

OS CROISSANTS são fenomenais

Em muitas cidades como Lisboa e Porto, O VIAJANTE vai descobrir os MELHORES.
Porém, o MELHOR, como conceito SUBJETIVO, vai de cada olhar e sabor pessoal (o que melhor para um, não é melhor para outro),

          No Porto-Portugal, TEM PROPAGANDAS como o MELHOR CROISSANT, mas, vivendo e morando em GAIA-PORTUGAL, EU descobri um CROISSANT realmente que merecia estar entre os MELHORES DO MUNDO, que é o daPADARIA “MONTE BRANCO” ao lado da estação de trens de Santo Ovídio, mas, também degustei o “melhor” do Porto, que para MIM, não é o Melhor de Portugal.

SABORES DO MAR
SOU AMANTE DE CRUSTACEOS (LAGOSTINS E CAMARÕES)



E como PESQUISADORA e COZINHEIRA, tenho que reconhecer a qualidade dos produtos feitos em um RESTAURANTE TRADICIONAL DO PORTO- “O ESCONDIDINHO”, que na minha opinião é um DOS MELHORES RESTAURANTES DA EUROPA, sendo a meu ver, MELHOR QUE O RAMIRO DE LISBOA.
Como cozinheira que gosta de ervas e SABORES na comida, sou exigente com temperos no sabor.
Cada SABOR é único e pode haver adequação de quem faz, não há umaOBRIGATORIEDADE DE GOSTAR.

(Tem gente que come Cachorro e rato, dependendo da sua cultura…)

MAS, EU GOSTO, DE COMIDA COM LIMÃO, SAL E ERVAS...

EM PORTUGAL, há gosto para todos os paladares.


PRODUTOS FRESCOS são encontrados em simples mercados a beira mar, ou supermercados sofisticados com controle de qualidade como o EL CORTES INGLES, que tem um dos MELHORES DEPARTAMENTOS DE GASTRONOMIA DE PORTUGAL.
Em suas áreas, há produtos do mundo todo, produtos frescos e com preços acessíveis.

É A EUROPA, se divirta, procure, descubra, viaje e se encante.

PESQUISAR SABORES, também é uma viagem cultural.

PORTUGAL TEM SABORES INIGUALAVEIS.


Para amantes de TODOS OS SABORES, do vinho ao fruto do MAR.

sábado, 28 de julho de 2018

LIVRO - FAZ DE CONTO- UM PRESENTE DE NECA MACHADO

BLOG DA NECA MACHADO CHEGA A 99 MIL CURIOSOS

DICAS DE VIAGEM


DICAS DE VIAGEM POR NECA MACHADO
“UMA VIAGEM GASTRONOMICA POR PORTUGAL)

*Viajar exige ECONOMIA...

Viajar, exige planejamento...
Viajar, exige conhecimento sobre o Pais...
Viajar exige normas de conduta e etica....
*Departamento de fronteiras na Europa é rigoroso.



(Neca Machado)
BIOGRAFIA

Neca Machado (Ativista Cultural, altruísta que preserva os sabores e saberes da Amazônia, através dos Mitos e Lendas da Beira do Rio Amazonas no extremo norte do Brasil, é, Administradora Geral, Artista Plástica, Bacharel em Direito Ambiental, Especialista em Educação Profissional, Escritora de Mitos da Amazônia, fotografa com mais de 100 mil fotografias diversas por 11 Países (Europa, Oceania, América do Sul) 2016, classificada  em 2016  na obra brasileira “Cidades em tons de Cinza”, de novo em 2017, Concurso Urbs,  classificada com publicação de um poema na obra Nacional, “Sarau Brasil”, Novos Poetas de 2016, de novo em 2017. Pesquisadora da Cultura Tucuju, Contista, Cronista, Poetisa, Coautora em 15 obras lançadas em Portugal em 2016 e 2017, Autora independente da Obra Mitos e Lendas da Amazônia, Estórias da Beira do Rio Amazonas, publicada em 02 edições em Portugal em 2017, edição limitada, Coautora na obra lusa, lançada em Lisboa em 09.09.2017, A Vida em Poesia, Licenciada Plena em Pedagogia, Gastro-Foto-Jornalista, Blogueira com 25 blogs na web, 21 no Brasil e 04 em Portugal, Quituteira e designer em crochê.)






Quem vai a PORTUGAL e não faz um roteiro pela gastronomia local, é como ir a Roma e não ver o Papa...

          Em cada esquina onde há um Café, existe uma vitrine cheia de encanto para deleite de quem ama gastronomia, mas, é preciso entender que CADA UM, como viajante ou turista, tem SEU PALADAR, E IMPOR GOSTO, não é salutar.

NECA MACHADO

          Sou uma inquieta pesquisadora de sabores pelo Mundo, nasci no coração da Amazônia, no meio do Mundo, sentindo a brisa do maior Rio de agua doce do planeta, o RIO AMAZONAS, e como CABOCLA, possuímos um paladar singular, a AMAZONIA possui sabores E PRODUTOS únicos.

E resolvi visitar e pesquisar lugares e sabores em Portugal.
Não sou amante dos doces portugueses, gosto imensamente dos sabores do MAR.



FRUTAS E DOCES

 (TEM TODAS AS FRUTAS DO MUNDO NA EUROPA)



Para quem gosta de DOCES, a diversidade e a tradição portuguesa é insuperável, doces seculares, muitos criados em Conventos, transcendem séculos para deleite de quem os ama, o viajante vai degustar em muitas PADARIAS tradicionais e cafés, sabores únicos como: Os famosos Pasteis de Nata feitos com massa folhada e creme de gemas, com sua inigualável superfície caramelada, além dos: Quindins, Pasteis de Santa Clara, Pasteis do Convento de Coimbra, Os Jesuítas, Toucinho do Céu, os travesseiros de Sintra, os doces de amêndoa e os Ovos moles.....
AMO PARTICULARMENTE OS FOLHADOS, são como folhas de papeis iluminadas por uma textura sem igual, onde a poesia no palato escreve maravilhas.

SALGADOS

OS CROISSANTS são fenomenais

Em muitas cidades como Lisboa e Porto, O VIAJANTE vai descobrir os MELHORES.
Porém, o MELHOR, como conceito SUBJETIVO, vai de cada olhar e sabor pessoal (o que melhor para um, não é melhor para outro),

          No Porto-Portugal, TEM PROPAGANDAS como o MELHOR CROISSANT, mas, vivendo e morando em GAIA-PORTUGAL, EU descobri um CROISSANT realmente que merecia estar entre os MELHORES DO MUNDO, que é o da PADARIA “MONTE BRANCO” ao lado da estação de trens de Santo Ovídio, mas, também degustei o “melhor” do Porto, que para MIM, não é o Melhor de Portugal.

SABORES DO MAR
SOU AMANTE DE CRUSTACEOS (LAGOSTINS E CAMARÕES)



E como PESQUISADORA e COZINHEIRA, tenho que reconhecer a qualidade dos produtos feitos em um RESTAURANTE TRADICIONAL DO PORTO- “O ESCONDIDINHO”, que na minha opinião é um DOS MELHORES RESTAURANTES DA EUROPA, sendo a meu ver, MELHOR QUE O RAMIRO DE LISBOA.
Como cozinheira que gosta de ervas e SABORES na comida, sou exigente com temperos no sabor.
Cada SABOR é único e pode haver adequação de quem faz, não há uma OBRIGATORIEDADE DE GOSTAR.

(Tem gente que come Cachorro e rato, dependendo da sua cultura…)

MAS, EU GOSTO, DE COMIDA COM LIMÃO, SAL E ERVAS...

EM PORTUGAL, há gosto para todos os paladares.


PRODUTOS FRESCOS são encontrados em simples mercados a beira mar, ou supermercados sofisticados com controle de qualidade como o EL CORTES INGLES, que tem um dos MELHORES DEPARTAMENTOS DE GASTRONOMIA DE PORTUGAL.
Em suas áreas, há produtos do mundo todo, produtos frescos e com preços acessíveis.

É A EUROPA, se divirta, procure, descubra, viaje e se encante.

PESQUISAR SABORES, também é uma viagem cultural.

PORTUGAL TEM SABORES INIGUALAVEIS.


Para amantes de TODOS OS SABORES, do vinho ao fruto do MAR.



sexta-feira, 27 de julho de 2018

NECA MACHADO, 17 OBRAS NA EUROPA E 05 NO BRASIL

CRONICAS DA NECA MACHADO NA EUROPA

AS CASAS COLORIDAS...

LIVRO DIGITAL

CRONICAS DA NECA MACHADO
“MEMORIAS DE PUTAS VELHAS-LEMBRANÇAS AMARGAS”

"AS CASAS COLORIDAS"

BIOGRAFIA

Neca Machado (Ativista Cultural, altruísta que preserva os sabores e saberes da Amazônia, através dos Mitos e Lendas da Beira do Rio Amazonas no extremo norte do Brasil, é, Administradora Geral, Artista Plástica, Bacharel em Direito Ambiental, Especialista em Educação Profissional, Escritora de Mitos da Amazônia, fotografa com mais de 100 mil fotografias diversas, premiada em 2016 com classificação na obra brasileira “Cidades em tons de Cinza”, Concurso Urbs,  classificada com publicação de um poema na obra Nacional, “Sarau Brasil”, Novos Poetas de 2016, Pesquisadora da Cultura Tucuju, Contista, Cronista, Poetisa, Coautora em 16 obras lançadas em Portugal em 2016, 2017, e uma em Genebra em 2018, em edição bilíngue português e inglês, Licenciada Plena em Pedagogia, Gastro-Foto-Jornalista, Blogueira com 25 blogs na web, 21 no Brasil e 04 em Portugal, Quituteira e designer em crochê.)







      Quando ela veio das Ilhas paraenses, só tinha um sonho: Chegar ao Oiapoque e ir para o outro lado do rio, talvez Kouro, mas a sedução era mesmo Caiena, porém, o rio metia medo, diziam que a correnteza era braba, e que muita catraia tinha virado e muita prostituta morrido.
Diziam que o Franco era 3 vezes mais valorizado do que o dinheiro brasileiro, e que não demorava e ela tinha sua CARTA DE SEJU.
A realidade foi outra.
O franco virou Euro, e ela nem atravessou o rio.
“Enganada” por falsas promessas de um cafetão, nem saiu de Macapá.
Seu corpo ainda “bom” como disse uma proprietária de um bordel onde ela foi parar, lá para os cafundós do Juda, ainda dava para ganhar alguma coisa.
E ela não teve opção.

Foi parar numa “CASA COLORIDA”

Era melhor do que os cabarés de Belém onde também ela fez morada por algum tempo.
A casa mais limpa, clientes cheios de pose, alguns eram empresários, outras autoridades cheias de moral...
E ela diferente, uma verdadeira beleza cabocla, até conseguiu algum trocado.
O que ganhou?
Muitas decepções, doenças, tristezas e MEMORIAS.

Hoje vendo as NOVAS PROSTITUTAS, tem até inveja.
Muitas são “garotas de programas” nome bonito para a prostituição, tem até sindicato.
Outras são suas próprias gestoras de suas agendas.
Muitas não querem mais viajar para Caiena,
Querem ir para Dubai.

Não querem mais casas coloridas, querem apartamentos de cobertura dados por autoridades corruptas, tá tudo na tv, repetiu.

E na memória a cor forte da CASA COLORIDA onde ela foi hospede por muito tempo.




CRONICAS DA NECA MACHADO

LIVRO DIGITAL



O SAPO DO CONVERSIVEL BRANCO



BIOGRAFIA

Neca Machado (Ativista Cultural, altruísta que preserva os sabores e saberes da Amazônia, através dos Mitos e Lendas da Beira do Rio Amazonas no extremo norte do Brasil, é, Administradora Geral, Artista Plástica, Bacharel em Direito Ambiental, Especialista em Educação Profissional, Escritora de Mitos da Amazônia, fotografa com mais de 100 mil fotografias diversas, premiada em 2016 com classificação na obra brasileira “Cidades em tons de Cinza”, Concurso Urbs,  classificada com publicação de um poema na obra Nacional, “Sarau Brasil”, Novos Poetas de 2016, Pesquisadora da Cultura Tucuju, Contista, Cronista, Poetisa, Coautora em 16 obras lançadas em Portugal em 2016, 2017 e 2018, Licenciada Plena em Pedagogia, Gastro-Foto-Jornalista, Blogueira com 25 blogs na web, 21 no Brasil e 04 em Portugal, Quituteira e designer em crochê.)

O SAPO DO CONVERSIVEL BRANCO


Ela já tinha lido e relido as fabulas dos irmãos Grimms, mas, definitivamente nunca pensou que seria protagonista.
Seu sonho de menina era conhecer um Príncipe, que viesse em seu cavalo branco, garboso, saltitando sem pressa, elegante. E ela, viajava, as vezes se pegava acordada sorrindo sem medo, imaginando o belo Príncipe com ar cortes, cheio de fidalguia, com flores no primeiro encontro, comprados “literalmente” por ele.
E a tecnologia ajudou.
O conheceu por acaso, solicito, gentil, voz mansa, pausada, e ela questionou: qual o problema no casamento?
E ele respondeu de imediato: sair da rotina.
E ela nem queria ir, gostava de homens mais velhos.
Sua intuição dizia, não vá.
E no primeiro encontro, surpresa, o belo Príncipe saído de contos germânicos, nem tanto, talvez europeu somente, chega em um “conversível branco”.
E seus olhos se abriram como por espanto, e ela sorrindo, lembrou do tal cavalo branco, mas, nem queria um conversível, bastava o Príncipe da voz suave ao telefone.
E nas preliminares o Príncipe ainda a escutou.
Mas não demorou para se transformar em SAPO.
E ela lembrou do pequeno SAPO cheio de veneno que matou o paisagista Burle Marx.
Um SAPO mortal, com seu veneno peculiar,
E ela se lembrou da fabula do escorpião. ”
Pela sua natureza, sem agradecimento, ainda na travessia picou o seu benfeitor.
O SAPO DO CONVERSIVEL BRANCO,
(Casado, com filhos, com uma esposa jovem e bela, com nome de Anjo, pula as lagoas (sites), em busca de aventuras.) E a esposa nem sabe de sua outra face oculta, talvez a foto colocada no seu perfil, nem seja dele. (  ) não parecia.
Talvez um dia volte para casa com uma hepatite C,
Talvez no primeiro beijo, seja contaminado por um herpes bucal, e quando tiver baixa imunidade, todos saberão que ele fez sexo oral.
 Talvez com várias prostitutas travestidas de damas.

E o SAPO DO CONVERSIVEL BRANCO,
Pensou de verdade que era um Príncipe.


---------------------------------------------------------------------------------------------------------

 ESTORIAS DO METRÔ EM PORTUGAL-2017

BIOGRAFIA

Neca Machado (Ativista Cultural, altruísta que preserva os sabores e saberes da Amazônia, através dos Mitos e Lendas da Beira do Rio Amazonas no extremo norte do Brasil, é, Administradora Geral, Artista Plástica, Bacharel em Direito Ambiental, Especialista em Educação Profissional, Escritora de Mitos da Amazônia, fotografa com mais de 100 mil fotografias diversas, premiada em 2016 com classificação na obra brasileira “Cidades em tons de Cinza”, Concurso Urbs,  classificada com publicação de um poema na obra Nacional, “Sarau Brasil”, Novos Poetas de 2016, Pesquisadora da Cultura Tucuju, Contista, Cronista, Poetisa, Coautora em 10 obras lançadas em Portugal em 2016 e 2017, Licenciada Plena em Pedagogia, Gastro-Foto-Jornalista, Blogueira com 25 blogs na web, 21 no Brasil e 04 em Portugal, Quituteira e designer em crochê.)


6.1 – A BELA QUE NÃO TINHA DINHEIRO PARA O METRÔ....
Na porta da estação percebi vários policiais, achei que eram policiais, pelas roupas pretas e pela maneira e seriedade ao se posicionarem à espera do veículo.
Manhã de quinta-feira, muito frio, a temperatura baixou repentinamente, uma senhora me cumprimenta e sem conhecer-me resmunga sacudindo a cabeça, “muito frio, heim! Sim,
 respondo entre um sorriso sem graça.
Quinta-feira, 23.03.2017 as pessoas em Portugal ainda têm o habito de pararem na porta de localidades onde são vendidos os jornais para lerem as manchetes, e a notícia do dia é o atentado na Europa que deixou mortos e feridos em Londres, pessoas que nem se conhecem, comentam o terror, coincidência ou não na época do aniversário do atentado em Bruxelas.
O veículo chega, entro, vou a cidade do Porto, próxima e a Senhora senta ao meu lado, puxando conversa, pergunta pelo meu sotaque que não é português de Portugal, de onde sou no Brasil, e ela de repente diz: “pegaram mais uma...” e EU sem entender, questiono: o que?

E ela: pegaram mais uma, que não tem dinheiro para pagar o bilhete do Metrô.

Moro do lado da estação do Metro
E alguém me disse: cuidado, compre seu bilhete, pague, não ande de graça, porque os fiscais podem lhe pegar, eles nem avisam quando fazem fiscalização, entram numa estação, fazem o controle, multam e vão embora...
E continuou: a multa é grande.
E olhei para a Moça que foi “multada”

BONITA, me surpreendi.
E eu disse a senhora: mas, ela é bonita, a senhora viu?

E a Mulher sorriu: mas, não tem dinheiro para pagar o bilhete.
“Sorrimos as duas da desgraça alheia. ”
Quantos não riem da gente...
E me lembrei de quantos “pobres, afrodescendentes, mendigos, que tem tantos em Portugal, são olhados “de lado” e “muitos” acham que nem tem dinheiro para pagar o bilhete.
E a BELA, com roupa boa de frio, bota nova, cachecol da moda... Nem tinha dinheiro para PAGAR o bilhete do Metro.
E vai ter dor de cabeça me disse a Senhora.
E desci pensando na crônica que escreveria,
Sou Jornalista, e não ia perder um tema tão bom.
A BELA QUE NÃO TINHA DINHEIRO PARA PAGAR O BILHETE DO METRO.
E na volta do meu compromisso na cidade do Porto, continuava a chover e aqui não tenho carro, decidi vir de taxi.
E o motorista simpático puxando conversa, resolvi contar a ele a estória do Metro..
E complementei:
Imagina você: que EU, com cara de pobre, afrodescendente, casaco simples, sem bota, no frio?
Alguém deve ter dito, essa ai, é mais uma sem dinheiro.
E eu ainda tenho um trabalho.
Na volta passei no Supermercado, e a safra de morangos em alta, trouxe logo uma caixa que AMO,

E ai: na conversa com o motorista de taxi,
Complementei: ainda volto de taxi, e vou comer morangos com nata...
E a BELA, de bota nova, nem tinha dinheiro para pagar o bilhete do Metro...

CRONICAS DA NECA MACHADO

"PUTA FOLÓ"


LIVRO DIGITAL

CRONICAS DA NECA MACHADO
“MEMORIAS DE PUTAS VELHAS-LEMBRANÇAS AMARGAS”

PUTAS (Não guardam segredos, um dia contam...)


(PUTA FOLÓ)*
BIOGRAFIA

Neca Machado (Ativista Cultural, altruísta que preserva os sabores e saberes da Amazônia, através dos Mitos e Lendas da Beira do Rio Amazonas no extremo norte do Brasil, é, Administradora Geral, Artista Plástica, Bacharel em Direito Ambiental, Especialista em Educação Profissional, Escritora de Mitos da Amazônia, fotografa com mais de 100 mil fotografias diversas, premiada em 2016 com classificação na obra brasileira “Cidades em tons de Cinza”, Concurso Urbs,  classificada com publicação de um poema na obra Nacional, “Sarau Brasil”, Novos Poetas de 2016, Pesquisadora da Cultura Tucuju, Contista, Cronista, Poetisa, Coautora em 16 obras lançadas em Portugal em 2016, 2017, e uma em Genebra em 2018, em edição bilíngue português e inglês, Licenciada Plena em Pedagogia, Gastro-Foto-Jornalista, Blogueira com 25 blogs na web, 21 no Brasil e 04 em Portugal, Quituteira e designer em crochê.)




         Sentada em uma velha cadeira de macarrão curtida, com alguns fios soltos em uma varanda dentro do Lago onde ainda com lagrimas nos olhos, reclamava por não ter tido um lugar melhor para morrer no fim da vida, ela apenas escutava o canto dos Sapos dentro “daquele inferno” na terra, e se perguntava: porque essas porcarias não param de gritar mesmo com chuva?

Nunca foi uma Mulher para morrer dentro do Lago, rodeada de aningas, uma ponte podre, ratos sobre a mesa do jirau, vermes por todo lado, o barulho das músicas ensurdecedoras dos fins de semana de seus vizinhos mal-educados, que não a deixavam dormir, o cheiro de merda dos banheiros ao ar livre a incomodavam, a cabeça coçava, eram piolhos, cruz credo, e olha que contradição, ela que era da noite, triste fim para uma PUTA VELHA.

Era linda, corpo escultural, cabelos ondulados, vaidosa, seus seios cheios de sedução, suas pernas, um pouco tortas, mas era de menos, mesmo “na vida” ela ainda tentou ter família, teve filhos de vários casamentos, que agora tentavam sua sorte, muitos sem sorte, teve um que ela se amargurava, tinha orgulho dele, mas, ele: contava para as falsas amigas; nunca teve sorte, “agora se juntou com uma Puta velha cheia de filhos pra ele criar, olha a sina do coitado”.
E aí, se lembrou da briga que teve no Cabaré com outra PUTA VELHA.
Foi um auê! Sorriu sem dentes.

FATOS

            Na caixa de som meio fanhosa do velho Cabaré no fim dos infernos, os clientes tentavam dançar ao som de músicas românticas, encostados nas quengas, se excitando para acabarem a noite em catres ou leitos das caceteiras, cheios de ilusões e sonhos que os tornariam realidade, quando a luz se apagasse, e ela confiando numa falsa Amiga, contou-lhe seu segredo, disse que nunca mais confiaria em alguém: contou que tinha um cliente fixo que sempre que vinha de Caiena ficava com ela, (mas resmungou: cruz credo, o Homem é um Cavalo, me arrebentou toda, quase que fui pro gelo....”)
E pensou que o tal Segredo jamais fosse revelado.

Noite de sonhos, festa a rodar, a música de Altemar Dutra enchia o salão.

Sentimental eu sou, Eu sou demais
Eu sei que sou assim
Porque assim ela me faz
 As músicas que eu,
 Vivo a cantar Têm o sabor igual
 Por isso é que se diz Como ele é sentimental
 Romântico é sonhar
 E eu sonho assim
Cantando estas canções
Prá quem ama igual a mim.....

E ela, naquela noite, estava linda, fez o cabelo, pintou as unhas, vestiu seu vestido de festa, sapato alto, perfume barato…E conquistou um belo Peixeiro dono de uma embarcação de Pesca, que tinha até um carro vermelho, e não sabia, que ele era disputado pelas gorjetas que deixava.
Foi quando em uma dança, recebeu um chute na perna e quase caiu.
Era uma rasteira.
Foi quando escutou um grito ensurdecedor:
PUTA FOLÓ, ELA É FOLÓ!
O homem se espantou.

Se explicar, nem tinha explicação, a porrada correu solta, pontapés, puxão de cabelo, unha quebrada, cara cortada, gente correndo….Policia, mas, até no puteiro tinha policial de plantão, eles iam lá de vez em quando sonhar também.

Mas, enfim, ela agora, é só lembranças, e muitas AMARGAS.

PS.

FOLÓ era um termo usado para especificar FLACIDEZ VAGINAL.

Hoje com tanta tecnologia, a vagina volta a ter sua flacidez recomposta até por lazer. Basta ter dinheiro para recompor até o hímen. ( rs.......)