rio

rio

terça-feira, 31 de outubro de 2017

HALLOWEEN - 2017 - ( I AM IN EUROPA)

"O Dia das Bruxas é conhecido mundialmente como um feriado celebrado principalmente nos Estados Unidos, onde é chamado de "Halloween".
Mas hoje em dia é celebrado em diversos outros países do mundo, inclusive no Brasil, onde hábitos como o de ir de porta em porta atrás de doces, enfeitar as casas com adereços "assustadores" e participar de festas a fantasia vêm se tornando mais comuns.
Mas sua origem pouco tem a ver com o significado que essa festa popular adquiriu. Entenda a seguir como ela surgiu.

De onde vem o nome?

O Halloween tem suas raízes não na cultura americana, mas no Reino Unido. Seu nome deriva de "All Hallows' Eve".
"Hallow" é um termo antigo para "santo", e "eve" é o mesmo que "véspera". O termo designava, até o século 16, a noite anterior ao Dia de Todos os Santos, celebrado em 1º de novembro.
Mas uma coisa é a etimologia de seu nome, outra completamente diferente é a origem do Halloween moderno.

Como a festa começou?

Desde o século 18, historiadores apontam para um antigo festival pagão ao falar da origem do Halloween: o festival celta de Samhain (termo que significa "fim do verão").
Fogueira de HalloweenDireito de imagemGETTY IMAGES
Image captionFogueiras estão presentes há muito tempo em celebrações de Halloween | Foto: Getty Images
O Samhain durava três dias e começava em 31 de outubro. Segundo acadêmicos, era uma homenagem ao "Rei dos mortos". Estudos recentes destacam que o Samhain tinha entre suas maiores marcas a fogueira e celebrava a abundância de comida após a época de colheita.
O problema com essa teoria é que ela se baseia em poucas evidências além da época do ano em que os festivais eram realizados.
A comemoração, a linguagem e o significado do festival de outubro mudavam conforme a região.
Os galeses celebravam, por exemplo, o "Calan Gaeaf". Há pontos em comum entre esse festival realizado no País de Gales e a celebração do Samhain, predominantemente irlandesa e escocesa, mas há muitas diferenças também.
Em meados do século 8, o papa Gregório 3º mudou a data do Dia de Todos os Santos de 13 de maio - a data do festival romano dos mortos - para 1º de novembro, a data do Samhain.
Não se tem certeza se Gregório 3º ou seu sucessor, Gregório 4º, tornaram a celebração do Dia de Todos os Santos obrigatória na tentativa de "cristianizar" o Samhain.
Mas, quaisquer que fossem seus motivos, a nova data para esse dia fez com que a celebração cristã dos santos e a do Samhain fossem unidas.
Assim, tradições pagãs e cristãs acabaram se misturando.

Quando surgiu o Dia das Bruxas?

O Dia das Bruxas que conhecemos hoje tomou forma entre 1500 e 1800.
Fogueiras tornaram-se especialmente populares a partir do Halloween. Elas eram usadas na queima do joio (que celebrava o fim da colheita no Samhain), como símbolo do rumo a ser seguido pelas almas cristãs no purgatório ou para repelir a bruxaria e a peste negra.
Outro costume de Halloween era o de prever o futuro - previa-se a data da morte de uma pessoa ou o nome de seu futuro marido ou mulher.
Em seu poema Halloween, escrito em 1786, o escocês Robert Burns descreve as formas pelas quais uma pessoa jovem podia descobrir quem seria seu grande amor.
EPADireito de imagemEPA
Image captionNos EUA, abóboras entalhadas tornaram-se símbolo desta festa
Muitos destes rituais de adivinhação envolviam a agricultura. Por exemplo, puxar uma couve ou um repolho do solo por acreditar que seu formato e sabor forneceriam pistas cruciais sobre a profissão e a personalidade do futuro cônjuge.
Outros incluíam pescar com a boca maçãs marcadas com as iniciais de diversos candidatos e "ler" cascas de noz ou olhar um espelho e pedir ao diabo para revelar a face da pessoa amada.
A comida era um componente importante do Halloween, assim como de muitos outros festivais.
Um dos hábitos mais característicos envolvia crianças, que iam de casa em casa cantando rimas ou dizendo orações para as almas dos mortos. Em troca, elas recebiam bolos de boa sorte que representavam o espírito de uma pessoa que havia sido liberada do purgatório.
Durante o festival, as igrejas costumavam tocar seus sinos, às vezes por toda a noite. A prática era tão incômoda que o rei Henrique 3º e a rainha Elizabeth tentaram proibi-la, mas não conseguiram. Esse ritual prosseguiu, apesar das multas regularmente aplicadas a quem fizesse isso.

Como o festival chegou à América?

Em 1845, durante o período conhecido na Irlanda como a "Grande Fome", 1 milhão de pessoas foram forçadas a imigrar para os Estados Unidos, levando junto sua história e tradições.
Não é coincidência que as primeiras referências ao Halloween apareceram na América pouco depois disso. Em 1870, por exemplo, uma revista feminina americana publicou uma reportagem em que o descrevia como feriado "inglês".
A princípio, as tradições do Dia das Bruxas nos Estados Unidos uniam brincadeiras comuns no Reino Unido rural com rituais de colheita americanos. As maçãs usadas para prever o futuro pelos britânicos viraram cidra, servida junto com rosquinhas, ou doughnuts em inglês.
O milho era uma cultura importante da agricultura americana - e acabou entrando com tudo na simbologia característica do Halloween americano.
Tanto que, no início do século 20, espantalhos - típicos de colheitas de milho - eram muito usados em decorações do Dia das Bruxas.
Foi nos EUA também que a abóbora passou a ser sinônimo de Halloween. No Reino Unido, o legume mais "entalhado" ou esculpido era o turnip, um tipo de nabo.
Uma lenda sobre um ferreiro chamado Jack que conseguiu ser mais esperto do que o diabo e vagava como um morto-vivo deu origem às luminárias feitas com abóboras que se tornaram o principal símbolo do Halloween americano.
A tradição moderna de "doces ou travessuras" também é americana. Há indícios disso em brincadeiras medievais que usavam repolhos, mas pregar peças tornou-se um hábito nessa época do ano entre os americanos a partir dos anos 1920.
As brincadeiras podiam acabar ficando violentas, como ocorreu durante a Grande Depressão, e se popularizaram de vez após a 2ª Guerra Mundial, quando o racionamento de alimentos acabou e doces podiam ser comprados facilmente.
Mas a tradição mais popular do Halloween, de usar fantasias e pregar sustos, não tem qualquer relação com os doces.
Ela veio após a transmissão pelo rádio de uma adaptação do livro Guerra dos Mundos, do escritor inglês H.G. Wells, que gerou uma grande confusão quando foi ao ar, em 30 de outubro de 1938.
Ao conclui-la, o ator e diretor americano Orson Wells deixou de lado seu personagem para dizer aos ouvintes que tudo não passava de uma pegadinha de Halloween e comparou seu papel ao ato de se vestir com um lençol para imitar um fantasma e dar um susto nas pessoas.
Mas a esta altura, muitos já pensavam que, assim como no livro, a terra estava realmente sendo invadida por marcianos.
BBC
Image captionFestival se popularizou e é comemorado hoje até mesmo na China

E quanto ao Halloween moderno?

Hoje, o Halloween é o maior feriado não cristão dos Estados Unidos. Em 2010, superou tanto o Dia dos Namorados quanto a Páscoa como a data em que mais se vendem chocolates. Ao longo dos anos, foi "exportado" para outros países, entre eles o Brasil.
Por aqui, desde 2003, também se celebra neste mesma data o Dia do Saci, fruto de um projeto de lei que busca resgatar figuras do folclore brasileiro, em contraposição ao Dia das Bruxas.
Em sua "era moderna", o Halloween continuou a criar sua própria mitologia.
Em 1964, uma dona de casa de Nova York chamada Helen Pfeil decidiu distribuir palha de aço, biscoito para cachorro e inseticida contra formigas para crianças que ela considerava velhas demais para brincar de "doces ou travessuras". Logo, espalharam-se lendas urbanas de maçãs recheadas com lâminas de barbear e doces embebidos em arsênico ou drogas alucinógenas.
Atualmente, o festival conserva pouco de sua origem, mas, apesar de ter ganhado nova roupagem, dá oportunidade para que adultos brinquem com seus medos e fantasias.
Ele permite subverter normais sociais como evitar contato com estranhos ou explorar o lado negro do comportamento humano. Une religião, natureza, morte e romance. Talvez seja esse o motivo de sua grande popularidade.

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

NECA MACHADO NÃO ESCUTA LIXO-Leonard Cohen - Dance Me to the End of Love

UNIVERSIDADE DO PORTO-PORTUGAL-RECEPÇÃO AOS CALOUROS 2017

UNIVERSIDADE DO PORTO, RECEPCIONA CALOUROS 2017



Por:
 (Neca Machado)-AMAZÔNIA
BIOGRAFIA

Neca Machado (Ativista Cultural, altruísta que preserva os sabores e saberes da Amazônia, através dos Mitos e Lendas da Beira do Rio Amazonas no extremo norte do Brasil, é, Administradora Geral, Artista Plástica, Bacharel em Direito Ambiental, Especialista em Educação Profissional, Escritora de Mitos da Amazônia, fotografa com mais de 100 mil fotografias diversas por 11 Países (Europa, Oceania, América do Sul) 2016, classificada  em 2016  na obra brasileira “Cidades em tons de Cinza”, de novo em 2017, Concurso Urbs,  classificada com publicação de um poema na obra Nacional, “Sarau Brasil”, Novos Poetas de 2016, de novo em 2017. Pesquisadora da Cultura Tucuju, Contista, Cronista, Poetisa, Coautora em 15 obras lançadas em Portugal em 2016 e 2017, Autora independente da Obra Mitos e Lendas da Amazônia, Estórias da Beira do Rio Amazonas, publicada em 02 edições em Portugal em 2017, edição limitada, Coautora na obra lusa, lançada em Lisboa em 09.09.2017, A Vida em Poesia, Licenciada Plena em Pedagogia, Gastro-Foto-Jornalista, Blogueira com 25 blogs na web, 21 no Brasil e 04 em Portugal, Quituteira e designer em crochê.)









UNIVERSIDADE DO PORTO, RECEPCIONA CALOUROS 2017


Considerada uma Universidade de PORTAS ABERTAS ao mundo, a Universidade do Porto, fundada em 1911, e uma das 150 melhores da EUROPA, ontem, 29.10.2017 foi palco de um verdadeiro encontro de pura alegria de jovens do Mundo todo, por ocasião de sua recepção aos novos acadêmicos de 2017.

Quem passou no coração da cidade do Porto, ontem (29.10.2017) observava a alegria estampada no rosto de centenas de JOVENS, a maioria jovens saídos da infância, agora em busca de formação profissional de QUALIDADE.
A Cultura portuguesa seduz o mundo, e a internacionalização do conhecimento através das cooperações traz a Portugal milhares de jovens do mundo todo.

“Observo feliz o crescimento de afrodescendentes em todos os setores, em especial nas universidades portuguesas onde a história e a beleza do País são atrativas. ”

O TROTE dos veteranos aos calouros é diferente de muitos países como no Brasil, que ainda tem a tradição de ser um “trote agressivo”
Foi um desfile de alegria, que terminou na frente do Parlamento da cidade do Porto.






Fundada em 1911, a Universidade do Porto é uma instituição de ensino e investigação científica de referência em Portugal, figurando hoje entre as 150 melhores universidades europeias nalguns dos mais importantes rankings internacionais do Ensino Superior.
Combinando um ensino de qualidade, focado nas vocações individuais e nas necessidades do mercado, com o estatuto de maior “berço” científico de Portugal, a U.Porto é uma instituição empenhada em traduzir em mais-valias para a sociedade o talento e a inovação que povoam as suas 14 faculdades, uma business school e mais de 50 centros de investigação. É ali que se move a mais rica comunidade académica de Portugal, resultado do encontro dos melhores estudantes do país com um corpo docente e científico altamente qualificado e um número crescente de estudantes, docentes e investigadores internacionais. Tudo isto num conjunto de polos universitários fortemente integrados na cidade e equipados com infraestruturas que garantem a melhor experiência académica, científica, mas também social e cultural.
Fazendo da abertura à comunidade e ao tecido empresarial um dos seus vértices estratégicos, a U.Porto é também um importante motor de desenvolvimento económico, social, cultural, e científico no Norte de Portugal e no país em geral. É por isso que não nos limitamos a formar profissionais. Criamos líderes, potenciamos inovadores, encorajamos empreendedores, em resumo, formamos pessoas que podem fazer a diferença na comunidade.
É essa atitude que a Universidade projeta cada vez mais para o resto do mundo. Atualmente, a U.Porto é a mais internacional das universidades portuguesas, fruto de uma estratégia que contempla laços de cooperação com centenas de instituições do ensino superior dos quatro cantos do planeta. A ambição passa por afirmar a instituição entre as 100 melhores universidades do mundo até 2020.



domingo, 29 de outubro de 2017

EU, QUE NÃO TENHO DINHEIRO "AMO", IMAGINA LADRÃO QUE ROUBOU E PODE GASTAR...

POLITICO LADRÃO AMA A EUROPA, E O CARIBE



1.   Sabe porque POLITICO LADRÃO ama a EUROPA?


PORQUE A EUROPA É LINDA, CHEIA DE FLORES....
(Com praças belas onde suas amantes, SEUS CASOS e esposas amam contemplar)

2.   Porque na EUROPA ELE É ANÔNIMO.
(cada vez que escuto um brasileiro comprando caixas de vinho e rindo alto, EU me pergunto: oh! meu Deus, não será mais um LADRÃO, desviando verbas da saúde?) ELES VEM PARA A EUROPA.
-----------------------------------------------------------------------------------------

  1. UM CASO REAL QUE ACONTECEU COMIGO NA ALEMANHA
(EU estava no aeroporto de Frankfurt e retomava ao Amapá, e fui fazer o check in, quando a responsável, falando em português, pegou meu passaporte e me perguntou> 

"Você é do Amapá? 

E eu surpresa por que? meu esposo estava falando em alemão e depois me perguntou em inglês, o que era, eu respondi que sim, e a Mulher rindo, me disse, que ERA DO LARANJAL DO JARI.

 (rs....) e mais surpresa ainda, quando ela continuou a tagarelar, me PERGUNTANDO POR UMA DEPUTADA de Santana, E MANDOU UM ABRAÇO A ELA- eu quase morro de rir.

Falei: Senhora eu não a conheço.
NEM SEI QUEM É,
ASSIM, COMO ELA, NEM SABE QUE EU EXISTO.

kkkkkkkk.
a tal deputada CONHECE A ALEMANHA, e deve "ter deixado uns trocados pra ela", porque me pareceu que as duas tem intimidade.
não estou dizendo que ela deixou- deve ter presenteado.

E EU VIM MORRENDO DE RIR. ( E A TAL DEPUTADA JÁ FOI CONDENADA EM TERRAS TUCUJUS) MAS, CONHECE A EUROPA.


-------------------------------------------------------------------
POLITICO LADRÃO NA EUROPA, É MAIS UM DESCONHECIDO.


3.   Na Europa é mais um desconhecido na multidão, AMA gastar o que roubou. As leis são ineficazes. NA EUROPA, AMAM AS COMIDAS, OS VINHOS, AS ROUPAS, AS BOLSAS.....



4.   Na EUROPA, MUITOS são GAY (   ) (HOMOSEXUAIS) (A, O) e não são incomodados, porque ninguém está preocupado com a vida do outro. Enquanto que nas suas cidades precisam dar satisfação para uma SOCIEDADE MEDIOCRE, que "sabe de suas opções ESCONDIDAS", mas não permitem que eles assumam suas identidades, e MUITOS precisam casar, ter filhos e tem até NETOS. QUANDO PODERIAM SER EXEMPLOS para a Justiça que permite a opção sexual ser explicita, mas MUITOS MORREM DE MEDO, e tem muitos que SÃO OPERADORES DO DIREITO e trabalham na própria justiça. COMO EXPLICAR? SEI LÁ

E MUITOS ainda são DROGADOS E VICIADOS, MUITOS EM JOGOS E DROGAS,  na EUROPA, estão no paraíso.

5.   E MUITOS estão até doentes, (Aids, Câncer, Hepatite C...) e vem a EUROPA se tratar.

6.   Na Europa, andam pelas vias públicas “felizes da vida”, porque as CALÇADAS, são limpas, lindas, acessíveis, permitem caminhar por horas sem aclives ou declives. Enquanto que nas suas CIDADES (   ), elas são sujas, sem uniformidade, com buracos, com fossas expostas e um PERIGO para TURISTAS e PEDESTRES.



7.   Mas as LEIS ESTÃO AI, E UM DIA VÃO PEGA-LO, e colocá-lo na CADEIA, exemplos tem aos montes, tem um MONTE que já foi presoOUTROS estão doentes, com doenças terminais, outros sequer podem usufruir do que roubaram, e muitos que até CANTAVAM NO CHUVEIRO, AGORA CANTAM NA CADEIA (TÁ DOIDO É.... )


8.   MAS, ELES AMAM A EUROPA, FAZER O QUE?

EU ( NECA MACHADO) ME DOU PRESENTES- ESSE FOI UM DELES EM UMA NOITE DE OUTONO-EUROPA

FAFÁ DE BELÉM, ENCANTOU NO COLISEU DO PORTO-26.10.2017

FAFÁ DE BELÉM PELA PRIMEIRA VEZ NO COLISEU DO PORTO



Por: Neca Machado-Amazônia

A noite de quinta-feira, 26 de outubro de 2017, realmente vai ficar na história de quem teve o privilégio de ESCUTAR o talento da cantora paraense FAFÁ DE BELÉM, o ingresso não foi barato, paguei 45 euros.

FAFÁ depois de 3 décadas entoando a canção da Amazônia pelo mundo, aporta no Porto-Portugal, no palco sagrado do COLISEU, em um ESPETACULOfenomenal, onde eles: não foram coadjuvantes, foram PARTICIPES do show que mexeu com o mundo, porque na plateia LOTADA de mais de 3000 (três mil) espectadores, do mundo todo, FELIPE e MANOEL CORDEIRO, encantaram com suas habilidades magistrais, sendo ovacionados pelo público presente de pé.


O SHOW de FAFÁ trouxe a Portugal no outono a música da Amazônia, e ela orgulhosa cantou pérolas como a bela canção de Osmar Junior e Rambold Campos do Amapá “OS PASSA A VIDA”.
 Me senti em casa, porque gosto também de interpretar a canção, que me foi autorizada por Osmar, (está no youtube no meu canal.)

FAFÁ também valorizou neste show que MEXEU com o público, o BREGA DO PARÁ, “meu coração é brega, repetia o público encantado...”

Canções cheias de emoção valorizando cidades como Santarém e Belém.
E o momento ápice do SHOW foram as lagrimas de FAFÁ DE BELÉM, que foi aplaudida de pé pelo público que lotou o teatro.
Fafá encantou, literalmente ENCANTOU.

“EU nasci no estado do Amapá, 1961, estudei em Belém do Pará, mas, nunca tinha escutado FAFÁ DE BELÉM, tão de perto, e confesso que, tenho que meRENDER a sua qualidade vocal, envelheceu, mas melhorou, está cada vez melhor.

FAFÁ mostrou seu lado de atriz, recentemente nas telas das televisões brasileiras, onde atuou e encantou com sua sensualidade latente.
E fechou falando do incêndio que devastou Portugal, FAFA é de origem portuguesa, e com o público português, cantou o hino de Portugal.


Realmente o SHOW valeu a pena, com o talento de FELIPE e MANOEL CORDEIRO, sangue na gema, sangue na veia, Manoel é Pai de Felipe, e o talento se eternizou.
PARABENS FAFÁ DE BELEM, MEXEU REALMENTE COM O PUBLICO.





sábado, 28 de outubro de 2017

MANOEL CORDEIRO E FELIPE NO COLISEU DO PORTO-26.10.2017

MANOEL E FELIPE CORDEIRO, SUCESSO NO COLISEU DO PORTO EM PORTUGAL- 26.10.2017



MANOEL CORDEIRO NO COLISEU DO PORTO-PORTUGAL

*26.10.2017

VERDADEIRO ICONE DA AMAZONIA FAZENDO SUCESSO EM PORTUGAL AO LADO DE FELIPE.


Por: Neca Machado
BIOGRAFIA

Neca Machado (Ativista Cultural, altruísta que preserva os sabores e saberes da Amazônia, através dos Mitos e Lendas da Beira do Rio Amazonas no extremo norte do Brasil, é, Administradora Geral, Artista Plástica, Bacharel em Direito Ambiental, Especialista em Educação Profissional, Escritora de Mitos da Amazônia, fotografa com mais de 100 mil fotografias diversas por 11 Países (Europa, Oceania, América do Sul) 2016, classificada  em 2016  na obra brasileira “Cidades em tons de Cinza”, de novo em 2017, Concurso Urbs,  classificada com publicação de um poema na obra Nacional, “Sarau Brasil”, Novos Poetas de 2016, de novo em 2017. Pesquisadora da Cultura Tucuju, Contista, Cronista, Poetisa, Coautora em 15 obras lançadas em Portugal em 2016 e 2017, Autora independente da Obra Mitos e Lendas da Amazônia, Estórias da Beira do Rio Amazonas, publicada em 02 edições em Portugal em 2017, edição limitada, Coautora na obra lusa, lançada em Lisboa em 09.09.2017, A Vida em Poesia, Licenciada Plena em Pedagogia, Gastro-Foto-Jornalista, Blogueira com 25 blogs na web, 21 no Brasil e 04 em Portugal, Quituteira e designer em crochê.)







O Brasil tem Tradição de CRIAR MITOS (Neca Machado)
MUITOS deles, sem Talento, sem competência e sem HISTORIA.

MANOEL CORDEIRO, ALEM DE TALENTOSO, É HUMILDE.

MANOEL CORDEIRO na companhia do filho talentoso, FELIPE, foram o verdadeiro SUCESSO no show de Fafá de Belém-Porto-Portugal no dia 26.10.2017.
OVACIONADOS pelo público presente do Mundo todo, e de PÉ.
 Sim! Pelos corredores do COLISEU DO PORTO-PORTUGAL, o que mais se escutava eram línguas diferentes, em busca da música da Amazônia, e lá estavam no palco com a cantora principal, DOIS referenciais da música mundial, porque os DOIS, Manoel e Felipe, já transpuseram fronteiras entre oceanos e Continentes, e mereciam SIM, que o show fosse SOMENTE DELES.


“Mas brilharam, literalmente brilharam.”


Porém, MANOEL CORDEIRO ainda conserva a SIMPLICIDADE característica dos homens RIBEIRINHOS, nasceu no coração da Amazônia, em uma localidade chamada de Pontas de Pedra no Marajó, há 6 décadas, mas, a vitalidade parece ser o encantamento da floresta que o conserva como um verdadeiro Nativo, cheio de vitalidade e de talento. E FELIPE é seu SUCESSOR, sucessor sim, porque não vai herdar seu talento, mas vai DIFUNDIR uma veia nata e genética das melhores qualidades musicais, que aprendeu com o Pai.
MANOEL CORDEIRO é o verdadeiro representante da música instrumental de QUALIDADE da AMAZONIA, trazendo influencia caribenha, latina, e africana nos seus acordes de guitarrada, que o público AMOU, literalmente AMOU, quando eles deram o show depois de um intervalo de Fafá.

O público delirou com a música da Amazônia, cheio de som da floresta, cheio de um estilo musical somente nortista, com sabor de brega e carimbo, dentro de um palco no coração da Europa, na cidade do PORTO-PORTUGAL, o Melhor DESTINO turístico da Europa, eleito em 2017.

“EU não consegui falar com Manoel Cordeiro de quem tanto GOSTO. ”
Moro próximo do Coliseu, e queria muito fazer um almoço para eles, mas infelizmente, não pude falar com ele, mas, AMEI, literalmente AMEI ver de perto, seu talento.
Foi uma noite FENOMENAL.
Foi um belo presente de outono em terras lusas, antecipando o presente de NATAL de 2017.

OBRIGADA, Manoel e Felipe, pelo deleite musical.







sexta-feira, 27 de outubro de 2017

NECA MACHADO CANTA OS PASSA A VIDA, NO VIOLÃO FINEIAS NELUTY

FAFÁ DE BELÉM CANTA OSMAR JUNIOR NO COLISEU DO PORTO-PORTUGAL

MANOEL CORDEIRO E FELIPE ENCANTAM EM PORTUGAL-26.10.2017

FAFÁ DE BELÉM, ENCANTOU NO COLISEU DO PORTO-26.10.2017

FAFÁ DE BELÉM PELA PRIMEIRA VEZ NO COLISEU DO PORTO



Por: Neca Machado-Amazônia

A noite de quinta-feira, 26 de outubro de 2017, realmente vai ficar na história de quem teve o privilégio de ESCUTAR o talento da cantora paraense FAFÁ DE BELÉM, o ingresso não foi barato, paguei 45 euros.

FAFÁ depois de 3 décadas entoando a canção da Amazônia pelo mundo, aporta no Porto-Portugal, no palco sagrado do COLISEU, em um ESPETACULO fenomenal, onde eles: não foram coadjuvantes, foram PARTICIPES do show que mexeu com o mundo, porque na plateia LOTADA de mais de 3000 (três mil) espectadores, do mundo todo, FELIPE e MANOEL CORDEIRO, encantaram com suas habilidades magistrais, sendo ovacionados pelo público presente de pé.


O SHOW de FAFÁ trouxe a Portugal no outono a música da Amazônia, e ela orgulhosa cantou pérolas como a bela canção de Osmar Junior e Rambold Campos do Amapá “OS PASSA A VIDA”.
 Me senti em casa, porque gosto também de interpretar a canção, que me foi autorizada por Osmar, (está no youtube no meu canal.)

FAFÁ também valorizou neste show que MEXEU com o público, o BREGA DO PARÁ, “meu coração é brega, repetia o público encantado...”

Canções cheias de emoção valorizando cidades como Santarém e Belém.
E o momento ápice do SHOW foram as lagrimas de FAFÁ DE BELÉM, que foi aplaudida de pé pelo público que lotou o teatro.
Fafá encantou, literalmente ENCANTOU.

“EU nasci no estado do Amapá, 1961, estudei em Belém do Pará, mas, nunca tinha escutado FAFÁ DE BELÉM, tão de perto, e confesso que, tenho que me RENDER a sua qualidade vocal, envelheceu, mas melhorou, está cada vez melhor.

FAFÁ mostrou seu lado de atriz, recentemente nas telas das televisões brasileiras, onde atuou e encantou com sua sensualidade latente.
E fechou falando do incêndio que devastou Portugal, FAFA é de origem portuguesa, e com o público português, cantou o hino de Portugal.


Realmente o SHOW valeu a pena, com o talento de FELIPE e MANOEL CORDEIRO, sangue na gema, sangue na veia, Manoel é Pai de Felipe, e o talento se eternizou.
PARABENS FAFÁ DE BELEM, MEXEU REALMENTE COM O PUBLICO.